4 razões pelas quais você deve incluir Miskolc em sua visita à Hungria

Budapeste é uma cidade encantadora. Destino praticamente certo entre mochileiros e viajantes que decidem ir ao Leste Europeu, é praticamente impossível não se apaixonar por tanta beleza e história admirando um dos cartões postais mais famosos do mundo. Mas hoje não vamos falar da capital da Hungria, e sim de uma outra cidade a cerca de duas horas de viagem de lá: Miskolc (clica aí no link pra ouvir a pronúncia correta).

Com aproximadamente 160 mil habitantes, ela é a terceira mais populosa do país (atrás de Budapeste e Debrecen), é também conhecida pela indústria pesada, além de ser o centro econômico, educacional e científico do nordeste húngaro. Mas seus atributos vão muito além disso.

Pela sua posição geográfica, a cidade sempre teve muita importância ao longo da história. Depois de ser elevada à categoria de cidade mercado, enfrentou alguns problemas na época da ocupação Otomana na Hungria e o incêndio provocado pela invasão turca em 1544 resultou em impostos pesados para a população até 1687.

Centro de Miskolc, na Hungria

Centro de Miskolc, na Hungria. Créditos: Guylherme Morais

Mas a cidade se recuperou e, além da importância histórica, tem diversas atrações turísticas e gastronômicas. Vamos listar algumas coisas para fazer em Miskolc. Quem sabe você não se interessa e inclua no seu roteiro?

1 Miskolctapolca

Destino certo para os turistas! É um parque no subúrbio da cidade com atrações para todos os gostos: bicicletas, bobsled e um dos mais belos banhos termais da Hungria. Em época de primavera/verão (que começa por agora no Hemisfério Norte) fica sempre muito movimentado.

No bobsled você paga 490 forints (atualmente R$ 6,38) por pessoa para andar num trilho de 800 metros, sendo 600 metros descendo morro abaixo. Você pode controlar a velocidade com o freio manual no seu carrinho.

Já os banhos termais são a grande atração do parque. A entrada custa 2.000 forints por pessoa (R$ 26,03) e dá direito a usar o dia inteiro, mas com o Miskolc Pass Tourist Card* você não paga nada e pode aproveitar o local por até quatro horas. Além do circuito de águas quentes dentro da caverna, existem as opções das saunas e dos banhos e massagens terapêuticas.

2 Lillafüred

Apesar de estar 12km para fora da cidade, oficialmente faz parte de Miskolc. Localizado nas montanhas Bükk, Lillafüred possui belos jardins, um hotel no estilo neo-renaissance construído entre 1927 e 1930, cavernas naturais, cachoeira e um belíssimo lago!

Sério! Não deixe de visitar!

3 Castelo Diòsgyör

O primeiro castelo foi construído lá pelo século XII e destruído durante a invasão mongol em 1241. O atual, com estilo gótico, foi construído pelo rei Luís, O Grande (1342-1382), e se tornou um presente de noivado para as rainhas da Hungria.

Se você está gostando do artigo até o momento, que tal curtir nossa página no Facebook?

Após passar por uma grande reconstrução, hoje o castelo recebe festivais medievais esporádicos, além de exposições permanentes sobre a época, armas e armaduras históricas, museu de cera etc. Na bilheteria existe um museu que conta a brevemente a história do castelo.

4 Torre de TV Miskolc-Avas

Torre de TV Miskolc-Avas, em Miskolc, Hungria

Torre de TV Miskolc-Avas, em Miskolc, Hungria. Créditos: Rodrigo / Wikimedia Commons

Toda cidade turística que se preze tem um local que você deve subir para ter uma vista panorâmica da cidade, no caso de Miskolc é a torre de TV que está localizada no topo do morro Avas. Construída em 1966, a torre foi construída em 1966 e está a 72 metros de altura, a subida é tranquila através de escadas e a recompensa vale à pena.

*O Miskolc Pass Tourist Card é uma iniciativa local para estimular o turismo na cidade. Com ele você pode visitar 15 atrações diferentes sem precisar pagar o valor da entrada, além de descontos de até 50% em restaurantes, usar o transporte público de graça e outras vantagens. Os modelos disponíveis vão de 24 horas a 120 horas e variam de 6.500 (R$ 84,61) a 16.000 (R$ 208,27) forints.

Obs.: Este artigo foi feito com base na experiência do autor durante o seu intercâmbio na cidade em 2013.

Prepare-se para sua viagem

Em Budapeste, nossa sugestão de hospedagem é o Full Moon Design Hostel Budapest. Já em Miskolc, recomendamos o Siesta Vendégház. Você pode procurar outros hotéis através do Booking, ou então se sua preferência é por albergues, acesse o Hostel World.

Vai alugar um carro? O preço do aluguel de veículos na categoria Mini em Budapeste é de aproximadamente R$335,00 por diária pela Europcar (confira mais preços aqui). Na Rentcars você compara preços em diversas locadoras no mundo todo com muita segurança, sem taxas no cartão de crédito, 5% de desconto no boleto, parcelamento em até 12 vezes e isenção de IOF. Compare preços para Miskolc.

Os países europeus exigem que os viajantes tenham contratado seguro viagem, geralmente com valores mínimos estabelecidos para garantir assistência médica em acidentes ou doenças. Leia também o que escrevemos sobre seguro viagem para a Europa. Você pode fazer sua cotação clicando aqui e utilizando o cupom de desconto VIAJEIBONITO5. Aprenda a contratar um seguro viagem e conheça também o seguro viagem que vale por um ano inteiro.

Em Budapeste, o almoço simples sai por volta de R$18,22, já o fast-food sairá por mais ou menos R$18,22. Considerando o cappuccino, podemos dizer que o cafezinho da tarde custa R$4,69. Em restaurantes, a garrafa d'água de 330ml custa R$2,08, o refrigerante - considerando também o de 330ml - custa R$3,18 e o pint de cerveja R$4,86.

Descubra quanto custa viajar para Budapeste e Miskolc.

Do Brasil, o voo mais barato para Budapeste sai de São Paulo no dia 28/11/17 com volta em 28/12/17 e custa R$3.313,36 (ver as datas). Confira todas as opções de voo para Budapeste.

Com base em cotações atualizadas do Yahoo Finance a cada duas horas, a proporção entre o Florim húngaro e o Real é de 1 HUF para 0,0121 BRL. Você pode simular o valor que deseja converter com os preços das casas de câmbio clicando aqui.

Guylherme Morais

Formado em Comunicação Social, amante do futebol e do esporte da bola laranja, viajar é literalmente a sua vida. Em 25 anos morou em seis cidades diferentes e não sabe se um dia vai simplesmente ficar em uma pra sempre. Créditos da imagem de capa: Guylherme Morais