Freelancers e nômades digitais se aposentam?

Viver a vida intensamente, viajar pelos quatro cantos do mundo, conhecendo outras culturas e aprendendo outros idiomas enquanto trabalhamos em horários flexíveis. Realmente, parece um conto de fadas a vida de nômade digital.

As empresas estão começando a enxergar que a qualidade de vida de seus funcionários reflete diretamente em sua produtividade, mostrando que trabalho e viagens não são inimigos e podem caminhar juntos. Entretanto, seria muita ingenuidade pensar que o único motivo que leva o contratante a optar por um profissional que trabalha remotamente em detrimento de um trabalhador formal que estará presente no escritório todos os dias é oferecer a ele bem-estar, com a opção de trabalhar em um ambiente que aumente sua capacidade criativa e satisfação no desempenho de suas tarefas.

É sabido que ao optarmos por trabalhar por conta própria, estamos abrindo mão de todos os benefícios assegurados por lei a quem tem carteira assinada. Não temos direito a férias, não temos décimo terceiro salário, nem fundo de garantia, vale transporte, ticket refeição, licença médica remunerada, plano de saúde, licença maternidade, multa por rescisão contratual ou qualquer outro amparo proveniente dos direitos trabalhistas. Sendo assim, o custo de manter um freelancer na equipe acaba saindo muito mais baixo para as empresas do que um funcionário contratado. Teoricamente, ninguém sai perdendo com essa liberdade que a tecnologia nos proporciona.

Vai sair perdendo apenas quem não se planeja e esquece que quando a idade avançar não terá a mesma disposição e saúde para trabalhar horas a fio, suportando longas jornadas a fim de levantar o quanto for preciso para sustentar suas necessidades e desejos. Já tratamos aqui no blog sobre as incertezas dos trabalhos remotos, com orientações mais imediatistas. Mas hoje fui mais a fundo, recorrendo à consultoria do economista e professor universitário Fernando Agra, o profissional mais indicado para orientar onde nossas finanças devem ser aplicadas de acordo com os nossos objetivos, no caso, a aposentadoria.

Casal de idosos mochilando e curtindo a aposentadoria

Casal de idosos mochilando e curtindo a aposentadoria. Créditos: pedrosimoes7 / Fonte: Flickr

Existem investimentos para quem quer ter retorno a curto, médio e longo prazo. Neste caso, estamos focando nas aplicações que tragam os melhores rendimentos a longo prazo, para garantirmos uma aposentadoria longe de arrochos e preocupações.

Antes de mais nada, vale salientar que nunca deve-se esperar até “sobrar dinheiro” para começar a investir. Tenha sempre um valor estipulado, por menor que seja, para aplicar todos os meses, mesmo com ganhos variáveis. Ou então fixe uma porcentagem do seu faturamento, o importante é nunca gastar tudo o que ganha se você realmente quiser criar um patrimônio financeiro.

Com a ajuda do Fernando Agra, listei as vantagens e desvantagens de cada investimento. Escolha aquele que se adeque melhor ao seu bolso e às suas expectativas.

1 Poupança

A caderneta de poupança pode não ser a melhor opção para garantir estabilidade financeira

A caderneta de poupança pode não ser a melhor opção para garantir estabilidade financeira. Créditos: 123rf

Vantagens

A aplicação mais conhecida e praticada pelos brasileiros é a caderneta de poupança. A maior vantagem dessa forma de investimento é que o dinheiro pode ser sacado a qualquer momento, quando o investidor quiser ou precisar dele. É possível aplicar quando e quanto quiser, servindo como uma reserva de emergência.

Outra vantagem da caderneta de poupança é que ela é uma das aplicações financeiras isentas de imposto de renda.

Se você está gostando do artigo até o momento, que tal curtir nossa página no Facebook?

Desvantagens

O economista Fernando Agra alerta para a perda do poder de consumo, uma vez que o rendimento da poupança é inferior à inflação, sendo assim, não há acúmulo de patrimônio. É possível sacar quando quiser, mas a rentabilidade é mensal, o que quer dizer que se o dinheiro for sacado antes de completar os 30 dias, o rendimento do mês será perdido.

2 Títulos de Capitalização

Investir em títulos de capitalização é como jogar dinheiro fora

Investir em títulos de capitalização é como jogar dinheiro fora. Créditos: Meg / Fonte: Flickr

Vantagens

O cliente pode escolher um dia do mês em que o dinheiro será retirado, mas é necessário fazê-lo ao final do período que foi acordado com o banco. Geralmente é utilizado por pessoas que não têm disciplina ou conhecimento para investir. Nesse método, paga-se uma mensalidade de valor irrisório.

Desvantagem

O rendimento é de apenas 1,3% ao ano e se o cliente sacar antes do prazo de vigência contratual, até mesmo esse baixo rendimento será perdido. Os lucros são usados para arcar com taxas, custos administrativos, pagamentos de impostos, sorteios e prêmios concorridos.

Embora haja sorteios, a chance de ser premiado é pequena, assim como na Mega Sena. Definitivamente, não é um bom negócio.

3 Certificado de Depósito Bancário (CDB)

Manter um controle financeiro mensal é importante para saber onde o dinheiro está sendo gasto

Manter um controle financeiro mensal é importante para saber onde o dinheiro está sendo gasto. Créditos: Stevepb / Fonte: Pixabay

Vantagens

É vantajosa quando se pensa em um lugar para guardar o dinheiro e ter acesso rápido, seja para uma viagem, para comprar algo de extrema necessidade ou para ser utilizado em casos de imprevistos em que a pessoa não tem dinheiro em mãos para cobrir as despesas.

Segundo Fernando, “ele tem uma rentabilidade melhor e diária”. É possível sacar o dinheiro quando quiser e o ganho será proporcional ao tempo de investimento.

Outra vantagem é a tributação sobre o valor investido. Se o dinheiro é retirado em até 6 meses, o valor descontado no Imposto de Renda é de 22,5% do rendimento. Até um ano, o percentual descontado cai para 20%. Até 2 anos, reduz 17,5% e acima de 2 anos, o valor descontado diminui para 15% do rendimento. Fernando explica: “É um imposto regressivo, quanto mais tempo ficar o dinheiro, maior vai ser a rentabilidade líquida.

Desvantagens

O rendimento do CDB depende de uma série de variáveis, entre elas a quantia que será aplicada e o relacionamento com o banco. É necessário negociar com o banco um percentual do Certificado de Depósito Interbancário (CDI). Embora sejam impostos regressivos, é necessário ficar atento aos valores que incidirão sobre os rendimentos do CDB, como o IOF e o Imposto de Renda.

4 Títulos Públicos (Tesouro Direto)

É possível aplicar quantias a partir de R$30 para garantir uma aposentadoria mais tranquila

É possível aplicar quantias a partir de R$30 para garantir uma aposentadoria mais tranquila. Créditos: Tax Credits / Fonte: Flickr

Vantagens

Essa é a melhor opção para médio e longo prazo, sendo possível fazer aplicações a partir de apenas R$30. É possível vender quando quiser e obter o dinheiro investido, estando atento às movimentações da economia para que não haja perdas. Outra vantagem é que o Tesouro Nacional garante a recompra dos títulos todos os dias.

Existem vários tipos de títulos, mas o Fernando destaca três deles:

  • Título pós-fixado

Paga a taxa Selic (taxa média de juros praticada pelas instituições financeiras).

  • Título pré-fixado

A taxa é garantida no ato da compra. É vantajosa em momentos em que os juros estão altos e tendem a cair, como agora.

  • Tesouro inflação

Atualmente, paga de 6% a 7% ao ano + a taxa da inflação.

Desvantagens

Se os títulos forem vendidos antes do vencimento do contrato, pode haver perda no investimento caso haja aumento nas taxas de juros. Não é vantajoso para quem precisa de lucro a curto prazo, mas como estamos falando sobre aposentadoria, será lucrativo, pois o cliente receberá o valor bruto da rentabilidade indicada no momento da compra do título.

5 Letra de Crédito Imobiliário (LCI) e Letra de Crédito do Agronegócio (LCA)

LCI e LCA podem ser opções lucrativas a longo prazo, indicadas para a aposentadoria.

LCI e LCA podem ser opções lucrativas a longo prazo, indicadas para a aposentadoria. Créditos: 123rf

Vantagens

Ambas são linhas de crédito isentas de Imposto de Renda com remunerações excelentes se comparadas ao CDI e caderneta de poupança. Também contam com a garantia do Fundo Garantidor de Créditos (FGC) até o limite de R$ 250 mil por pessoa.

Desvantagens

A maior desvantagem é a existência de um valor mínimo e um prazo de carência, prendendo o dinheiro do investidor por um período determinado pela instituição financeira, com prazo mínimo de 90 dias. Sendo assim, é necessário ter outra fonte de reserva onde o dinheiro pode ser sacado em casos de urgência.

6 Cofrinhos

Cofrinhos definitivamente não são uma boa opção para poupar dinheiro para a sua aposentadoria

Cofrinhos definitivamente não são uma boa opção para poupar dinheiro para a sua aposentadoria. Créditos: Jacob Edward / Fonte: Flickr

Vantagens

Não há vantagens nesse tipo de “poupança”. O valor acumulado deve ser aplicado ao final de cada mês para que comece a render de verdade.

Desvantagens

Acumulando dinheiro em cofrinhos a pessoa deixa de receber os juros daquela quantia, por menor que sejam e ainda prejudica e economia do país com a moeda que deixa de circular. Já vimos que é possível investir valores a partir de R$30, então para que ficar guardando em casa?

7 Previdência Privada

O planejamento da aposentadoria deve começar cedo

O planejamento da aposentadoria deve começar cedo. Créditos: FirmBee / Fonte: Pixabay

Vantagens

Foi criada pensando nos profissionais liberais, como os freelancers. São depositados valores fixos mensais, que podem ser alterados quando necessário. O maior atrativo da Previdência Privada é investir pagando menos impostos.

Existem várias opções de resgate, variando em função da instituição financeira em que o dinheiro foi aplicado. As mais comuns são resgate do valor integral ou parcelas fixas. Também é possível deixar o investimento como herança.

Desvantagens

Os custos são muito altos, com taxas de entrada, taxas de saída, taxas de carregamento, taxas de performance, taxas de administração e muitos fatores externos podem atrapalhar o seu investimento, como em caso de divórcio (dependendo do regime da união), processos judiciais, além do índice inflacionário e das aplicações feitas pelo banco. Fernando Agra aconselha que todos fujam desse tipo de aplicação.

8 Aposentadoria pela Previdência Social

Dinheiro não nasce em árvore, é preciso investir e poupar para se aposentar com tranquilidade

Dinheiro não nasce em árvore, é preciso investir e poupar para se aposentar com tranquilidade. Créditos: Tax Credits / Fonte: Flickr

Vantagens

Quem trabalha ou já trabalhou de carteira assinada e é contribuinte da Previdência Social poderá se aposentar por idade, tempo de trabalho, invalidez, doença, além de terem direito a auxílio doença, auxílio acidente e pensão por morte. O valor pago durante a aposentadoria será proporcional ao valor da contribuição.

Desvantagens

As regras são estipuladas pelo governo e podem mudar a qualquer momento, como aconteceu em 2015, quando o tempo necessário para receber o benefício foi ajustado de acordo com a expectativa de vida dos brasileiros, que aumenta a cada dia. Ou seja, os contribuintes precisam esperar mais para se aposentar. Caso queira se aposentar mais cedo, o valor do benefício será reduzido.

Nômades da melhor idade descansando após um longo passeio

Nômades da melhor idade descansando após um longo passeio. Créditos: Mr Hicks46 / Fonte: Flickr

Agora que já conhecemos as vantagens e desvantagens de cada tipo de investimento, não há motivos para temer o futuro e vender a sua liberdade em troca de uma assinatura na Carteira de Trabalho. Várias são as possibilidades para ganhar dinheiro sendo um nômade digital, mas é preciso ser perseverante e disciplinado.

Espero que este artigo lhe seja útil para ajudá-lo a organizar as suas finanças. Caso queira se aprofundar neste tema, poderá assistir aos vídeos do professor e economista Fernando Agra no YouTube ou ler artigos na página que ele administra no Facebook. Além disso, alguns cursos são ministrados por ele gratuitamente ou a preços simbólicos. Vale a pena conferir as datas e locais!

Um abraço e até a próxima segunda-feira com mais um texto sobre [tag link=”nomades-digitais”]nomadismo digital[/link].

Créditos da imagem de capa: pedrosimoes7 / Fonte: Flickr

Sobre Gisele Rocha

Formada em Comunicação Social pela UFJF. Andou meio mundo tentando descobrir o que queria fazer, até descobrir que queria mesmo era andar pelo mundo.