Quanto custa viajar para Nova York

Nova York é um dos destinos mais cobiçados dos Estados Unidos porque oferece opções que agradam a viajantes de todas as idades e classes sociais. Seja pela cultura, esportes, artes ou consumo, você vai encontrar muitos bons motivos para visitar a cidade. Acha que não é para o seu bolso? Então veja neste artigo todos os gastos que tivemos durante uma semana de estadia em NYC.

Para começar, é importante deixar claro que viajamos sempre da maneira mais econômica possível, prezando pelo melhor custo/benefício nas nossas escolhas. Nem sempre visitamos os pontos mais conhecidos de cada cidade e quando o fazemos, procuramos a forma de reduzir os custos do passeio, abrindo mão de certas comodidades. De certa forma, viajar assim é mais prazeroso, pois nos escapamos de várias “pegadinhas para turistas” e aprendemos a explorar a cidade como os moradores locais fazem.

Outra coisa que você deve observar é que os preços foram listados em dólar, uma vez que a conversão para a nossa moeda tem oscilado consideravelmente devido ao momento que a economia brasileira atravessa. Vamos às contas?

Passagens aéreas para Nova York

Vista aérea a caminho de Nova York

Vista aérea a caminho de Nova York. Créditos: Adriano Castro

Se você começar a monitorar os preços das passagens com antecedência, poderá encontrar ótimos preços. No nosso caso, pagamos mais do que gostaríamos porque não tínhamos tanta flexibilidade nas datas, mas ainda assim foi uma boa compra. Os bilhetes de ida e volta já com as taxas custaram USD$520 (R$1813,33) por pessoa, saindo de Belo Horizonte.

A nossa dica é que você fique de olho no site dos Melhores Destinos. É assim que conseguimos as melhores tarifas.

Hospedagem barata em Nova York

Hospedar-se no Bronx, em Nova York, é uma opção mais em conta

Hospedar-se no Bronx, em Nova York, é uma opção mais em conta. Créditos: Adriano Castro

Em se tratando de Nova York, o seu conceito de “hospedagem barata” vai ter que mudar. Se você quiser dormir com o mínimo de dignidade, vai ter que desembolsar uma grana.

Existem hostels muito bons, como o Q4 Hotel and Hostel, mas a diária custa a partir de 40 dólares por pessoa em quartos compartilhados. Neste caso, optamos por Airbnb, uma vez que trabalhamos através do computador e precisávamos de privacidade e silêncio.

Nosso apartamento no Bronx tinha um quarto só pra gente, além de banheiro e cozinha. Demorávamos cerca de 45 minutos até Manhattan, mas no metrô, com música nos ouvidos e internet no celular, o tempo passava rápido. O melhor é que seis diárias para duas pessoas custaram USD$281 ou R$983.

Não, o Bronx não é um bairro perigoso. Esse preconceito vem das brigas entre gangues que aconteciam ali no século passado, assim como no Brooklyn. Hoje em dia, ambos os bairros são muito bem vistos entre os moradores locais e você precisará ter os mesmos cuidados que em qualquer outro lugar do mundo (não ficar dando mole com a câmera no pescoço, evitar ruas escuras à noite, tomar cuidado com os batedores de carteira e mãos leves no geral).

Transporte em Nova York

Estação de metrô no Bronx, em Nova York, Estados Unidos

Estação de metrô no Bronx, em Nova York, Estados Unidos. Créditos: Gisele Rocha

Taxi do aeroporto JFK até o Bronx

Geralmente nós optamos pelo transporte público, mas era madrugada e estávamos com todos os nossos pertences, já que vamos passar seis meses pelo país. Para não precisarmos carregar todas as malas no metrô, que nem sempre tem acesso facilitado com escadas rolantes e elevadores, tivemos que desembolsar USD$62 (aproximadamente R$220) de taxi, incluindo a corrida, as taxas e a gorjeta obrigatória.

Se precisar utilizar esse tipo de transporte, você pode fazer um cálculo estimado de quanto vai gastar e evitar surpresas desagradáveis.

AirTrain JFK

Uma opção muito mais econômica é usar o AirTrain que liga o Aeroporto JFK até as estações de metrô, custando apenas USD$5. Nós usamos na conexão que fizemos em Nova York no ano passado e na volta para o aeroporto na semana passada. Ele leva a todos os terminais do aeroporto e é gratuito caso você precise se deslocar lá dentro.

Metrô em Nova York

Em maio de 2016 uma corrida única do metrô custava USD$2,75. Para nós, que ficamos 6 dias, compensava comprar o MetroCard que dá direito a viagens ilimitadas por USD$32.

Comer barato em Nova York

Uma das muitas delicatessem de Nova York, onde é possível comprar comida a preços baixos

Uma das muitas delicatessem de Nova York, onde é possível comprar comida a preços baixos. Créditos: Nino Eugene La Pia / Fonte: Flickr

Para alguns essa informação será irrelevante, para outros, uma grande alegria: para comer sem gastar muito em Nova York não é necessário viver à base de hambúrgueres. É fácil encontrar refeições completas e saudáveis por menos de USD$5.

Se você está gostando do artigo até o momento, que tal curtir nossa página no Facebook?

Antes de mais nada, procure sempre pelas “deli”, são lojas de conveniência onde você encontrará tudo, de produtos industrializados a pratos feitos na hora. Restaurantes orientais também são uma ótima pedida para quem procura um prato nutritivo que não cause um rombo no orçamento.

Café da manhã

3 potes de iogurte custaram USD$1,40. Frutas cristalizadas USD$0,99. Um pacote com dois bolinhos de chocolate saíam por USD$0.99, um pacote de rosquinhas custava o mesmo preço.

O café em si era o produto mais caro, chegando a custar USD$5 o pote (que rende uns 10 dias). Se preferir comprá-lo pronto, irá pagar entre USD$1,50 e USD$2 por cada copo.

Almoço e jantar

Esqueça as redes de fast food. Hambúrgueres do McDonald’s não custam 1 dólar, pelo menos não em Nova York. Isso é ilusão. Fora que são pouco nutritivos e em menos de uma hora você já estará com fome outra vez.

Nós do Viajei Bonito prezamos por refeições econômicas e cozinhar em casa costuma ser a melhor opção para comer bem sem gastar muito. No entanto, em Nova York era fácil encontrar pratos prontos a preços baixos e isso nos poupava tempo.

Em um supermercado do Bronx nós compramos um prato que vinha com arroz, feijão e bacalhoada e custou USD$6. Serviu duas pessoas no almoço e no jantar, o que quer dizer que cada refeição custou USD$1,50.

Na Chinatown um prato de arroz, legumes e frango (ou camarão) custa USD$5 e rende duas refeições.

Na Times Square um hambúrguer completo sai por USD$5, enquanto um omelete com purê custa exatos USD$4.

Vegetarianos também conseguem comer bem a preços módicos. Uma fatia enorme de pizza com cogumelos, legumes e um molho delicioso custou apenas $3,75 na Two Boots de Williamsburg. Um burrito de espinafre com arroz colorido, cogumelos e feijão custou $9 no Pedro’s, no Dumbo (Brooklyn).

Lembre-se apenas de que nos restaurantes de Nova York é comum deixar uma gorjeta ao ir embora. Nos Estados Unidos o costume é deixar 20% do valor total da conta, ao invés dos 10% aos quais estamos habituados no Brasil.

Happy hour

Não é porque estamos viajando no modo econômico que não podemos nos sentar em um pub para tomar umas, bater papo e ficar de frente para uma vista maneira.

Em média, as cervejas custam a partir de USD$7 e os drinks USD$8, podendo chegar ao infinito. Escolha aqueles que caibam no seu bolso.

Internet

É fácil conseguir acesso gratuito à internet em Nova York

É fácil conseguir acesso gratuito à internet em Nova York. Créditos: unsplash / Fonte: Pixabay

Quem nos acompanha no Snapchat (viajeibonito) sabe que passamos um perrengue no aeroporto porque estávamos sem internet e precisávamos comunicar a nossa anfitriã que já estávamos a caminho de casa. Era madrugada e não queríamos correr o risco de chegarmos em casa e não ter ninguém para abrir a porta, como aconteceu na Rússia, onde ficamos na rua da amargura, com fome e frio.

O acesso à internet do aeroporto é gratuito por 30 minutos, mas precisamos usá-lo antes de passarmos pela imigração para baixar uns documentos. Diante da urgência em contactar a menina que nos recebeu, tentamos comprar o pacote de 1 hora, que custava USD$4,95, mas o site não aceitou nenhum dos nossos cartões, tampouco nossa conta PayPal.

Até pensamos em comprar um SIM Card, mas não encontramos nenhuma banca aberta dentro do aeroporto às 2h30 da manhã. E ainda bem que não conseguimos, pois no resto da cidade é muito fácil achar internet gratuita. A maioria das estações de metrô dispõe acesso ilimitado, assim como alguns museus, lojas e restaurantes. Definitivamente, comprar um SIM Card não vale a pena.

Atrações gratuitas em Nova York

O Empire State Building visto da base

O Empire State Building visto da base. Créditos: Gisele Rocha

Acredite se quiser, mas não gastamos nenhum centavo com atrações turísticas. Além dos inúmeros museus gratuitos de Nova York, procuramos alternativas para ver os principais pontos turísticos de graça. Foi o que fizemos com a Estátua da Liberdade, por exemplo. Uma amiga querida, a Mari Correa, nos deu uma excelente dica para ver a cidade do alto sem pagar nada: basta subir até o rooftop de um dos prédios comerciais do entorno do Empire State Building. O que ela nos sugeriu foi aquele que fica no número 230 da 5th Avenue. Homens, não podem entrar de bermuda e mulheres não podem entrar com roupas extravagantes, muito justas, curtas ou decotadas. Lembrem-se, é um prédio comercial, portanto, vista-se de maneira mais sóbria.

Conhecendo Nova York sem gastar muito

Além deste texto, produzimos um vídeo onde mostramos mais detalhes sobre como foram esses dias por Nova York!

Total gasto

Afinal de contas, quanto custa viajar para Nova York?

Considerando as passagens aéreas, transportes internos e alimentação (café da manhã, lanches, almoço, jantar e happy hour), o gasto total em 7 dias foi de USD$839, ou R$2.932 por pessoa. Mais barato do que você havia pensado, certo?

Por fim, é importante que você mantenha uma margem para cobrir imprevistos. Você nunca sabe quando precisará repor um objeto que estragou, um remédio que faltou ou pegar um taxi em caso de emergência.

Se você estiver planejando a sua viagem para Nova York e sentiu falta de alguma informação do nosso orçamento, nos escreva na caixa de comentários. Ficaremos felizes em responder.

Boa viagem!

Créditos da imagem de capa: Richard Burger / Fonte: Flickr

De malas prontas para Nova York?

Em Nova York, o almoço simples sai por volta de R$55,75, já o fast-food sairá por mais ou menos R$24,78. Considerando o cappuccino, podemos dizer que o cafezinho da tarde custa R$13,11. Em restaurantes, a garrafa d'água de 330ml custa R$4,90, o refrigerante - considerando também o de 330ml - custa R$6,10 e o pint de cerveja R$18,58.

Descubra quanto custa viajar para Nova York.

Q4 Hotel and Hostel

2909 Queens Plaza North

Descrição obtida de Booking

Este hostel de Long Island City está localizado em Queens, a 10 minutos de comboio da zona este de Manhattan. O Q4 Hotel dispõe de uma cozinha e de uma sala com uma mesa de ténis de mesa e uma televisão, partilhadas pelos hóspedes.

Quando você utiliza o botão abaixo para procurar sua hospedagem, o Viajei Bonito ganha uma pequena comissão e você não paga nada a mais por isso. É uma forma de ajudar nosso blog a continuar vivo, trazendo informações valiosas para sua viagem.

Verificar disponibilidade

Em Nova York, nossa sugestão de hospedagem é o Q4 Hotel and Hostel.

É altamente recomendável contratar um seguro viagem para garantir assistência médica em acidentes ou doenças. Você pode fazer sua cotação clicando aqui e utilizando o cupom de desconto VIAJEIBONITO5. Ou então aprenda aqui a contratar um seguro viagem.

Com base em cotações atualizadas do Yahoo Finance a cada duas horas, a proporção entre o Dólar dos Estados Unidos e o Real é de 1 USD para 3,1720 BRL. Você pode simular o valor que deseja converter com os preços das casas de câmbio clicando aqui.

Sobre Viajei Bonito

Somos duas pessoas apaixonadas por movimento. Para nós, cair na estrada é mais importante do que um projeto futuro de estabilidade e quaisquer oportunidades de novas viagens, por mais remotas e loucas que pareçam ser, a gente tá pegando!
  • Como sempre, post muito claro, honesto e excelente! Adoro quando vocês falam de gastos reais por aqui 🙂

  • Gisele Rocha

    Obrigada, Bárbara. Parece impossível gastar pouco em Nova York e até nós ficamos surpresos quando chegamos lá e nos deparamos com coisas tão baratas. É preciso procurar, mas não é nenhum sacrifício.

  • Arthur Franco Ferreira

    Sensacional! Eu não vi em outro post de vocês, mas quanto vocês gastaram com visto para viajar para os EUA e quanto geralmente vocês separam de dinheiro para esses imprevistos?

  • Grande Arthur!! Com o visto gastamos algo em torno de R$900,00. Estará um pouco mais barato agora porque o dólar na época estava na casa dos R$3,80. Vc vai ter q pagar uma taxa de USD 180 (se não me falhe a memória) + uma outra taxa que me esqueci. É tudo muito fácil e não caia na tentação de pagar uma empresa pra cuidar disso! Existem empresas que ajudam no processo, mas tudo que elas fazem é preencher os formulários que você mesmo preencheria.

    Procure pelo visto “B1” no site da embaixada americana no Brasil: http://portuguese.brazil.usembassy.gov/pt/index.html.

    Tome cuidado ao buscar no Google porque existem sites com layout semelhante e até mesmo URLs semelhantes, mas que na verdade são serviços de terceiros que fazem a mediação.

    Enfim, no site da embaixada vc faz os agendamentos da visita ao CASV (Botafogo) para tirar uma foto e colher digitais, alem da entrevista na embaixada, no Castelo, próximo ao metrô da Cinelândia. Quando for agendar, certifique-se de deixar umas duas horas de diferença entre os dois ou até mais se quiser ter tranquilidade no trânsito de uma pra outra.

    Enfim, se vc iniciar o processo fique a vontade em me perguntar, tirar dúvidas aqui ou pessoalmente. =)

  • Kee Ottaviano

    Show de bola, através do post de vocês e de todas as informações decidi a partir de hoje iniciar um planejamento para uma viagem a NY no ano que vem , ótimas dicas e informações, ganharam mais um seguidor, abraços !

  • Olá Kee! Obrigado pelo comentário!! Ficamos muito felizes com o feedback e saiba que isso nos entusiasma cada vez mais a continuar escrevendo.

  • Mariene Mariene

    Nota 10 esses relatos. Parabéns, e continuem compartilhando as experiências de vocês. Viajamos através de cada relato. Abraço.

  • Oi Mariene! Muito obrigado pelo comentário! Caso queira ver mais relatos sobre nossa viagem pelos EUA, dê uma olhadinha na playlist EUA’16 de nosso canal do YouTube: https://www.youtube.com/playlist?list=PLGPRZZBqMRW84GX7AeSsuLY3uvSvhm6-f. Tem muita coisa lá!!

  • Susu Soares

    Adorei o poste. Vou a Nova York em maio, alugamos um apartamento em Manhattan. Eu estava em dúvidas quanto levar para passear por lá, e agora já tenho ideia de quanto. Só preciso de ajuda sobre que roupas e calçados levar. Você pode me ajudar quanto a isso?

  • Gisele Rocha

    Susu, eu responderia: “nenhuma roupa, nenhum calçado, você vai endoidar com as queimas de estoque”, mas por prudência, digo para você levar um único casaco mais pesado, algumas blusas de manga longa mais quentinhas e outras de malha, mais leves. Em maio nós só usamos o casacão 1 dia e mesmo assim voltamos para casa com ele na mão, já não estava tão frio. Calça jeans é suficiente para suportar o friozinho dessa época, mas não faz mal levar uma meia calça fio 80 para usar por baixo caso o tempo esfrie, ou para usar com vestido.
    Um par de botas que combine com tudo é coringa, porque são os sapatos que pesam na mala e não há necessidade de ocupar espaço com isso. Luvas eu não usei, cachecol sim.
    Espero que tenha ajudado. Abraço!