Everest: o que você precisa saber antes de planejar sua escalada

Esta publicação é resultado de uma parceria com a Betway Cassino Online.

O Monte Everest é, sem dúvida, a montanha mais famosa e desafiadora do mundo. Isso porque ela fica a incríveis 8.848 metros acima do nível do mar. Isso mesmo, são quase 9 km de altura. Faz parte dos Himalaias, que formam a mais alta cadeia montanhosa do mundo. A cordilheira abrange cinco países. O Everest fica na fronteira do Nepal com o Tibet.

Junto ao charme e gratificação de escalar o Everest até o seu cume, estão também muito desafio e pressão, física e mental. Há muitos cuidados a serem tomados e muita preparação há de ser feita para evitar imprevistos ou situações mais sérias.

Como chegar ao Everest

Everest, Nepal
Everest, Nepal. Créditos: crazy777 (adaptado) / Fonte: Flickr

A jornada para se chegar ao Everest começa em Katmandu, a capital do Nepal. É de lá que saem as expedições rumo à base do monte. Essas expedições podem ser formadas por grupos de pessoas ou então pelas agências de logísticas de lá. Saindo de Katmandu, pega-se um voo até Lukla, a cidade mais próxima do Himalaia. O voo é bem rápido, durando menos de 30 minutos. Lukla está a 2.860 metros de altitude. Toda essa experiência, desde o voo de ida, a escalada da montanha, até o retorno a Katmandu, pode durar até cerca de 2 meses.

Onde ficar em Lukla

Uma opção de hospedagem em Lukla é o Khumbu Lodge & Restaurent. O hotel é bem simples, uma vez que Lukla não oferece muitas opções. Ele possui um bar e um terraço, além de restaurante, recepção 24 horas e wi-fi gratuito. Os quartos incluem banheiro privativo e é servido um café da manhã diariamente. As tarifas são bem justas também, girando entre R$50 e R$80 a diária até a data de publicação deste artigo, em julho de 2019.

Subindo o Everest

Everest, Nepal
Everest, Nepal. Créditos: danieltitovan (adaptado) / Fonte: Flickr

O primeiro passo é chegar até o campo base. São cerca de 9 dias de trekking, já que este campo fica a 5.364 metros do nível do mar. Para se ter uma ideia, a cidade mais alta do mundo é La Rinconada, nos andes peruanos, a 5.100 metros de altura. Ou seja, a cidade mais alta do mundo está 200 metros mais abaixo que esse campo base. De lá, você avança (sobe) cerca de 500 metros e chega ao acampamento base-avançado, a 5.800 metros de altura. Você já terá passado pela cascata de gelo (Khumbu Icefall), uma das partes mais perigosas de toda a expedição até descansar um pouco antes de dar prosseguimento à aventura.

Segue-se para o acampamento 2, a 6.400 metros de altura e com uma estrutura melhor. Os níveis de oxigênio por lá já chegam a condições críticas. Ali você já estará mais alto, por exemplo, que o Monte Denali, no Alaska, que possui 6.190 metros. Seguindo para o acampamento 3, você chegará a 7.300 metros de altura. Para efeitos de comparação, em termos de oxigenação, é duas vezes pior do que jogar uma partida profissional de futebol em La Paz, na Bolívia, que está a 3.640 metros de altura.

O último acampamento é o 4, já a quase 8.000 metros do nível do mar. Ele é considerado parte da chamada “zona da morte”. Lá, o oxigênio tem eficiência de apenas um terço se comparado com o nível do mar. Você vai passar por vários pontos de alto risco até chegar ao cume do Monte Everest, a 8.848 metros de altura.

O que dizem os especialistas

Os brasileiros Manoel Morgado e Ayesha Zangaro são experts no assunto. Morgado chegou ao topo do Everest em 2010, aos 53 anos. Já Ayesha fez o percurso em 2018, aos 23 anos. Foi a brasileira mais jovem a realizar o feito. Ambos concordam que há muitas partes delicadas em toda a expedição, mas destacam a cascata de gelo (entre o campo base e o campo base-avançado) e a zona da morte, já próxima do cume do Everest.

Manoel frisa que é de extrema importância estar muito bem preparado, física e psicologicamente, já que a subida testará seus limites ao extremo. A subida é demorada e muito longa e a pressa pode ser fatal. Segundo ele, muita fatalidade acontece na descida, por não saber quanta energia ainda tem armazenada no corpo. Os aventureiros dão tudo para chegar ao cume e não sobra nada para a descida.

Glória e risco no Everest

Chegar ao cume do Everest é muito gratificante. Certamente é uma das experiências mais recompensadoras para os amantes do alpinismo. Mas além dos ricos que já citamos, há também os imprevistos naturais que podem acontecer. É por isso que há glória e risco para os escaladores da maior montanha do mundo.

É a única montanha do mundo que já tirou mais de 100 vidas. Hoje a contagem das mortes já passa da casa dos 300. Em 1996, por exemplo, uma tempestade inesperada causou 15 mortes. O acontecimento inclusive foi retratado pelo autor Jon Krakauer, no livro “Into Thin Air”. Mais recentemente, em 2015, um terremoto que devastou Nepal gerou avalanches que atingiram os acampamentos e foi responsável por 19 mortes.

A montanha mais alta do mundo, imponente e desafiadora, sempre foi e continuará sendo palco de muitas histórias. Histórias de adversidades e de lutas. De dificuldades e vitórias. No final, a recompensa é a gratificação por ter realizado uma das missões mais instigantes e ameaçadoras do montanhismo.

Everest: o que você precisa saber antes de planejar sua escalada

Prepare-se para viajar

Ícone seguro viagem

Use o cupom CRIANCA para adquirir o seguro viagem com até 20% de desconto, pagando via PIX ou boleto bancário. Além da cobertura médico-hospitalar, você também estará protegido em casos de cancelamento de viagem, extravio ou danos à bagagem.

Ícone hotel

Reserve hospedagem com antecedência através do Booking e Hostelworld para garantir preços promocionais. Parcelamento sem juros no cartão de crédito e possibilidade de cancelamento reembolsável.

Garanta internet em mais de 210 países utilizando o chip da Easysim4u, que nós já testamos na Europa e do norte ao extremo sul das Américas. Use o cupom SPRING e garanta 50% de desconto.

Compre passagens aéreas com até 35% de desconto usando o comparador de preços ou utilize a ferramenta quando viajar, um calendário que mostra as tarifas mais baixas para o destino que você escolher.

Tenha liberdade para ir aonde quiser alugando um carro através da Rentcars, que atua em parceria com locadoras renomadas do mundo todo. Parcele sem IOF em até 12x ou cancele sem custos.

Pague menos comprando suas passagens de ônibus com a ClickBus, a empresa líder em vendas online de passagens rodoviárias, trabalhando em parceria com mais de 140 empresas em mais de 4 mil destinos!

Faça passeios guiados em qualquer lugar do mundo e fure a fila comprando ingressos com antecedência através da GetYourGuide. Cancele sua reserva até 24 horas antes do início de sua atividade e obtenha reembolso integral.

Osmar Sexto

Formado em Ciência da Computação, ex-analista de sistemas e jogador profissional de poker desde 2013, vai levando a vida rodeado por músicas, esportes, jogos, séries e viagens.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para o topo