Carregamos nosso espírito viajante para Nova York com um dos princípios que servem de alicerce para o estilo de vida que adotamos: viajar barato! Pode parecer um absurdo se tratando de uma das cidades com maior custo de vida do mundo, mas não é. Basta um pouco de boa vontade e esforço para encontrar atrações turísticas gratuitas na metrópole ou então fazer uso dos recursos disponibilizados por sua administração, e foi isso que fizemos em nosso primeiro dia de andanças pela Lower Manhattan.

No extremo sul da ilha encontra-se a State Island Ferry: balsa cujo serviço é gratuito e responsável por transportar pessoas até a State Island – divisão administrativa que, juntamente com Queens, Manhattan, Brooklyn e o Bronx, forma a cidade de Nova York.

State Island Ferry, em Nova York, Estdos Unidos

State Island Ferry, em Nova York, Estdos Unidos. Créditos: m01229 / Fonte: Flickr

O tempo da travessia gira em torno de 25 minutos, com pequenas diferenças na ida e na volta, dado que as rotas são ligeiramente diferentes. Nossa ideia era pegar a balsa entre Manhattan e State Island, uma vez que ela passa muito perto da Estátua da Libedade.

Vamos combinar uma coisa: ela não passa assim tão perto, a ponto de você poder ver detalhadamente seus pixels, mas o suficiente para se ter uma visão panorâmica de Manhattan e da pequena ilha onde a grande estátua de cobre se encontra.

Aproveitamos para coletar algumas informações e dicas úteis caso você também queira uma alternativa aos passeios pagos pelo monumento:

  • Há uma estação de metrô (South Ferry Station) na entrada do serviço de barcas. Entretanto, algumas composições podem solicitar que você troque de vagão na penúltima estação: Rector St., por isso fique atento.
  • Na porta do hall de entrada da State Island Ferry há várias pessoas uniformizadas oferecendo tours e outros serviços relacionados à Estátua da Liberdade, mas lembre-se: você não precisará gastar um centavo para fazer uso das barcas, por isso qualquer tentativa de vender algo relacionada a elas é golpe, com exceção dos tours
  • As barcas contam com Wi-Fi gratuito.
  • Não há filas definidas para entrar na barca. Quando ela estiver se aproximando você verá uma multidão se aglomerando e poderá cogitar esperar a próxima embarcação com receio de que não sobrarão espaços para observar a estátua, mas não se preocupe, a barca é enorme e várias pessoas ali são moradores: dificilmente vão disputar os espaços no deck com os turistas.
  • Falando em deck, no sentido Manhattan State Island procure ficar na área externa do lado direito da embarcação para conseguir observar a Estátua da Liberdade de frente.

Terminado o primeiro trajeto, descobrimos que não adiantava ficar sentado na balsa esperando que voltasse. Fomos obrigados a sair e de cara avistamos várias pessoas correndo. Nossa reação: nossa, que povo mais agitado, apavorado, sem tempo… êêê Nova York… até perceber que eles estavam correndo para pegar a balsa de volta que sairia em instantes. Nossa reação: correndo pelas nossas vidas juntamente com aquelas pessoas.

Em pouco mais de uma hora e meia, desde que descemos do metrô já estávamos de volta à Manhattan para visitar a infinidade de suas atrações turísticas. Isso tudo sem gastar um dólar. Agora, se você quiser chegar perto ou até mesmo subir na Estátua da Liberdade, precisará abrir a carteira, mas aí já é assunto para outro artigo. Continuaremos atrás de atrações gratuitas ou baratas por uma das cidades mais atraentes dos Estados Unidos e traremos tudo nos próximos textos e publicações em nossas redes sociais. Por enquanto, você pode ver algumas dicas para organizar sua viagem e economizar em Nova York no blog Foco no Mundo, da Débora Resende.

Se você está gostando de viajar conosco, deixe suas ideias, opiniões, críticas e qualquer outro tipo de comentário que desejar através das ferramentas de discussão que se encontram logo abaixo. Pode ter certeza de que isso enriquecerá nossa viagem e nos ajudará a trazer um conteúdo cada vez com a sua cara!

Até a próxima!

Viajei Bonito
Somos duas pessoas apaixonadas por movimento. Para nós, cair na estrada é mais importante do que um projeto futuro de estabilidade e quaisquer oportunidades de novas viagens, por mais remotas e loucas que pareçam ser, a gente tá pegando! Ver mais artigos de Viajei Bonito Créditos da imagem de capa: Gisele Rocha. Imagem utilizada nas redes sociais: wwarby.
Um comentário em “A melhor forma de ver a Estátua da Liberdade de graça”
Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *