Grupo de alunos que assistiu a cenas de violência no Bunker 42, em Moscou