Santo Amaro do Maranhão, o lado alternativo dos Lençóis Maranhenses

“O que fazer em Santo Amaro do Maranhão”? A resposta para essa pergunta varia de acordo com a estação do ano, condições climáticas, intensidade dos ventos e das chuvas. A boa notícia é que mesmo com tantas mudanças na paisagem, a cidade oferece inúmeras opções de passeios para quem quer se desligar do mundo e se reenergizar em meio à natureza.

Santo Amaro popularizou-se há pouco tempo, com ajuda da internet. Quem passava por essa parte dos Lençóis Maranhenses dizia que ali estavam as lagoas mais bonitas do parque, as maiores, mais cheias e mais cristalinas. Com o alcance dos blogs e dos fóruns de viajantes, essa informação se dissipou e hoje a cidade recebe turistas do mundo inteiro, que antes se concentravam apenas em Barreirinhas.

Santo Amaro do Maranhão, o lado alternativo dos Lençóis Maranhenses

Santo Amaro do Maranhão, o lado alternativo dos Lençóis Maranhenses. Créditos: Gisele Rocha

Por mais que venha ganhando espaço no cenário turístico brasileiro, Santo Amaro ainda possui infraestrutura precária, com estradas em más condições, poucas opções de hospedagens e restaurantes, sem sinal de celular e atendimento médico sofrível.

As perspectivas são boas para um futuro próximo, tendo em vista que até pouco tempo atrás a estrada que levava à cidade era de terra e apenas carros 4×4 conseguiam trafegá-la. Em janeiro de 2018, porém, parte da via já estava asfaltada, outra parte era calçada com blocos de concreto e uma ponte estava sendo construída para facilitar o acesso.

Como chegar em Santo Amaro do Maranhão

De carro

Como nossa viagem duraria 17 dias e cortaria todo o estado do Maranhão, alugamos um carro em São Luís e pudemos usufruir de toda a liberdade proporcionada por um veículo próprio.

A viagem de São Luís para Santo Amaro é feita pela rodovia 402 e dura 4 horas. Saindo de Barreirinhas, a viagem dura aproximadamente 2 horas e meia. Leia mais sobre como ir de São Luís para os Lençóis Maranhenses.

Para entrar em Santo Amaro é necessário passar por uma curta estrada de terra e atravessar o Rio Alegre, mas não há ponte. É impossível fazê-lo com um carro baixo convencional, apenas 4×4 conseguem essa façanha.

Logo na entrada da cidade existem diversos estacionamentos, cada um deles cobra uma diária de 10 reais para você deixar o carro lá, não há outra alternativa. A partir desse ponto você paga entre R$10 e R$15 (janeiro/2018) para que uma Jardineira te deixe na porta da pousada. Dentro do parque trafegam apenas veículos credenciados.

De van

Algumas empresas fazem o percurso São Luís – Santo Amaro de van e a vantagem de utilizar esse meio de transporte é o serviço porta a porta. O motorista te busca onde você estiver hospedado e você não precisa se deslocar até o terminal rodoviário com todos os seus pertences. Muito mais seguro.

Com a pavimentação da estrada, hoje em dia há motoristas que levam até a entrada de Santo Amaro, outros levam até o município de Pedras, onde é necessário fazer baldeação. Em ambos os casos o percurso final é feito em uma jardineira, que é paga à parte.

Há saídas de madrugada, de manhã e à tarde. Entre em contato com as empresas G.i Conect, RotaCombo, Santur e Levatur e veja qual delas se adapta aos seus planos. Se quiser contato direto com motoristas, ligue para o Cláudio no número (98) 98893-1666, para o Denilson no (98) 99148-8904 e (98) 98808-9190 ou para o Jeriel, que atende no número (98) 98838-3029.

De jardineira

Jardineiras são Toyotas com caçambas adaptadas para transportar pessoas. É possível contratar esse serviço em qualquer agência de Barreirinhas e o preço médio é de R$40 por pessoa (janeiro/2018).

A melhor época para viajar para Santo Amaro do Maranhão

Retomando ao que eu escrevi no primeiro parágrafo, as opções de passeios variam de acordo com as condições climáticas. Naquela região há duas estações bem definidas: uma chuvosa, que vai de janeiro a julho, e outra seca, de agosto a dezembro.

Para quem quer ver as lagoas cheias e minimizar o risco de chuvas, recomendo que a viagem seja feita entre os meses de maio e setembro. Entre novembro e março o nível das lagoas cai consideravelmente e algumas delas chegam a secar. Nós estivemos nos Lençóis Maranhenses durante o período de seca e descobrimos diversos passeios alternativos. O melhor deles era tomar banho de rio.

O que fazer em Santo Amaro do Maranhão

Santo Amaro do Maranhão é cercada pelo rio, por dunas e natureza intocada. Todos os passeios foram pensados de maneira que o ser humano pudesse interagir com o espaço de forma sustentável, sem impactar o meio ambiente. E é por isso que apenas carros credenciados podem andar pelas dunas. Os preços são praticamente os mesmos em quaisquer agências, então fica mais prático fechar com a parceira da pousada onde você estiver hospedado que sair pesquisando de porta em porta.

Banhos de rio

Já que falei sobre os banhos de rio, vou começar por ele. Santo Amaro é cercada pelo Rio Alegre, que proporciona mergulhos deliciosos e passeios de barco. Mesmo com todos os passeios que fizemos (e que poderíamos ter feito), ficar ali sossegados foi o nosso programa favorito. E o melhor de tudo, era gratuito.

Lagoa da Gaivota e Lagoa das Andorinhas

Visitar os Lençóis Maranhenses durante o período de seca nos apresentou novos passeios, por outro lado, inviabilizou os clássicos. Não conseguimos fazer o passeio pela Lagoa da Gaivota, que foi locação para o filme Casa de Areia, com a Fernanda Montenegro e a filha Fernanda Torres, Stenio Garcia, Seu Jorge, Luiz Melodia, Jorge Mautner e muitos outros (se não assistiu, faça a você mesmo esse favor). O mesmo passeio contempla ainda a Lagoa das Andorinhas e outras sem nome.

Preço: R$60 por pessoa (janeiro/2018).

Lagoas Emendadas

Durante o período de cheia, as águas de duas lagoas transbordam e formam uma só, que juntas podem ficar maior que a Lagoa da Gaivota. Para ver esse fenômeno de perto, é necessário caminhar por 2 horas (depois mais 2 horas na volta), mas não se preocupe, pois há pausas para se refrescar em outras lagoas pelo caminho.

Veja a lista do que levar para os Lençóis Maranhenses e em hipótese alguma deixe para trás o protetor solar, os óculos, chapéu e muita água.

Preço: R$60 por pessoa (janeiro/2018).

Siga nossa página no Facebook

Lagoa da América

Quer fugir da horda de turistas que toma conta dos Lençóis Maranhenses durante a alta temporada? Então faça do circuito Lagoa da América, que é o menos concorrido entre todos os passeios citados.

O acesso é feito de barco ou lancha, cortando áreas de mangue muito bonitas. O passeio dura um turno e abrange a lagoa que dá nome ao passeio e outras menores, mas também muito bonitas. A Pousada Bellas Águas também oferece esse tour.

Preço: R$60 por pessoa (janeiro/2018).

Povoado Betânia

Nosso passeio até Betânia foi feito em parceria com a Pousada Bellas Águas. Começou logo após o café da manhã e acabaria depois do pôr do sol, passando por dunas, lagoas, rios e mangues. O tempo estava encoberto, então optamos por ir direto ao povoado Betânia, onde poderíamos fazer passeio de barco (R$10 à parte) e nadar no rio.

Nosso guia conhecia a região como a palma da mão e a cada pausa contava casos e curiosidades. Ficamos lá em Betânia até a hora do almoço, que não estava incluído no preço do passeio e custa R$35 por pessoa. Passamos um tempo morgando no redário, até que o sol deu as caras e assim fomos direto para a Lagoa Bela, a única que tinha um pouco de água durante o período seco. Quando ela está cheia, chega a 2 metros de profundidade e é disputada por praticante de esportes aquáticos.

Além da Lagoa Bela, o passeio tradicional passa pelas Lagoa das Cabras, Lagoa do Amor, Lagoa da Betânia e outras menores, com direito a pausa para banho e fotos, mas como vocês já sabem, em janeiro elas estavam completamente vazias e por isso acabamos encurtando o passeio por escolha própria.

Preço: R$80 por pessoa (janeiro/2018).

Onde comer em Santo Amaro do Maranhão

Não espere por restaurantes pomposos em Santo Amaro do Maranhão, mas pode contar com comidas caseiras bem temperadas e peixes frescos.

No primeiro dia nós almoçamos na Barraca da Ana, restaurante que fica às margens do Rio Alegre. No segundo fomos ao Sol de Amaro e nos dois últimos descobrimos um restaurante bem simplesinho chamado Caminho das Dunas. O jantar era sempre um lanche na praça principal, fosse hambúrguer, crepe ou pizza.

Adriano passou mal e não sabemos ao certo o que não caiu bem pra ele. Como era o único que usava condimentos, suspeitamos que alguma maionese ou catchup que ele colocou na comida pudesse estar estragado.

Hospital em Santo Amaro do Maranhão

Hospital em Santo Amaro do Maranhão

Hospital em Santo Amaro do Maranhão. Créditos: Gisele Rocha

Nem só de momentos felizes se fazem as viagens. Durante a nossa estadia em Santo Amaro passamos por dias tristes, primeiro com a notícia da morte repentina de um tio querido, depois com Adriano indo para o hospital por causa de uma intoxicação alimentar.

Sem posto médico por perto, sem ambulância e sem sinal telefônico, meu marido precisou se aguentar firme durante a madrugada, mesmo com fortes dores abdominais, vômito e diarreia. Ninguém dormiu, a noite parecia que não ia acabar, até que nas primeiras horas do dia a dona da pousada conseguiu o transporte que atravessaria o rio e nos levaria ao hospital mais próximo.

Chegando lá, nada de médico. Essa é a dura realidade nos hospitais públicos do Brasil. Esperamos por mais de uma até o plantonista aparecer. A partir desse momento, duas enfermeiras se dividiam entre a recepção e os cuidados com os pacientes.

Felizmente era um caso simples, mas fica a lição. Seguro não é só para viagens internacionais. Na falta de plano de saúde que cubra todo o Brasil, o seguro viagem nacional pode ser a salvação. Sem sinal telefônico, poderíamos ter tentado atendimento pela internet ou pedido para que algum amigo acionasse a seguradora. Por sorte tudo terminou bem e conseguimos cumprir o nosso planejamento.

Onde se hospedar em Santo Amaro

Embora as opções de hospedagem sejam limitadas, nosso alojamento em Santo Amaro foi o melhor entre as quatro cidades que visitamos no Maranhão.

Ficamos hospedados na Pousada Bellas Águas, bem estruturada, com atendimento impecável, suítes limpas e bem equipadas com ar-condicionado, televisão e frigobar, WI-FI, e, por fim, aquele café da manhã reforçado, com várias opções de bolos, pães, quitutes regionais, sucos, café e leite. Muito melhor do que em casa!

Barreirinhas

Carolina / Chapada das Mesas

Santo Amaro do Maranhão

São Luís do Maranhão / Alcântara

Vídeos

Prepare-se para sua viagem

Pousada Bellas Águas

Rua Osvaldo Cruz 35

Descrição obtida de Booking

Não há descrição disponível.

Diárias a partir de R$215,00 (preço atualizado em 20 de abril de 2018)

Quando você utiliza o botão abaixo para procurar sua hospedagem, o Viajei Bonito ganha uma pequena comissão e você não paga nada a mais por isso. É uma forma de ajudar nosso blog a continuar vivo, trazendo informações valiosas para sua viagem.

Verificar disponibilidade

Em Santo Amaro do Maranhão, nossa sugestão de hospedagem é a Pousada Bellas Águas (diárias a partir de R$215,00). Aprenda a reservar um hotel pela internet aqui. Você pode procurar outros hotéis através do Booking, ou então se sua preferência é por albergues, acesse o Hostelworld.

Vai alugar um carro? Na Rentcars você compara preços em diversas locadoras no mundo todo com muita segurança, sem taxas no cartão de crédito, 5% de desconto no boleto, parcelamento em até 12 vezes e isenção de IOF. Veja como é simples fazer sua cotação e reservar um carro pela internet.

Mesmo sem a obrigatoriedade de contratar um seguro viagem ao viajar pelo Brasil, é altamente recomendável para garantir assistência médica em acidentes ou doenças. Você pode fazer sua cotação clicando aqui e utilizando o cupom de desconto VIAJEIBONITO5. Aprenda a contratar um seguro viagem e conheça também o seguro viagem que vale por um ano inteiro.

A Viator oferece passeios, tours, visitas a atrações turísticas e guias para vários destinos no mundo! Descubra o que ela tem a oferecer para Brasil e Américas Central e do Sul.

Gisele Rocha

Formada em Comunicação Social pela UFJF. Andou meio mundo tentando descobrir o que queria fazer, até descobrir que queria mesmo era andar pelo mundo. Créditos da imagem de capa: Gisele Rocha