Como lidar com as incertezas de um trabalho remoto

Em nosso blog você provavelmente já leu alguns artigos inspiradores a respeito de nomadismo digital. São várias as formas de trabalhar e ao mesmo tempo viajar pelo mundo, em qualquer área de atuação, basta ter criatividade e força de vontade. Felizmente, para quem trabalha com tecnologia, comunicação e qualquer outra área cujas funções possam ser executadas em um laptop conectado à internet, a situação é mais favorável ainda.

Em contrapartida, alguns fatores colaboram para a incerteza de quem já está nessa onda de trabalho remoto e para quem está a um passo de embarcar na aventura: salários menores, instabilidade, ausência de um plano de carreira, desconfiança por parte dos contratantes, disciplina, entre outros.

O conforto e o bem-estar resultantes de um estilo de vida que prioriza a liberdade em troca de várias outras “seguranças” estão constantemente conflitando com as incertezas e é preciso ter muita força de vontade para manter esse modelo de trabalho.

Como lidar com as incertezas do trabalho remoto?

Os conselhos abaixo não devem ser tratados como livrinhos de receita ou fórmulas infalíveis que se aplicarão a qualquer pessoa. É assim que lido com esses problemas e pode ser que eles façam sentido para você, pode ser que não. Em qualquer um dos casos, os comentários ao final do artigo estão mais do que abertos para discussões e debates sobre o assunto.

Salários Menores

Dinheiro em um potinho de vidro

Dinheiro em um potinho de vidro. Créditos: Pictures of Money / Fonte: Flickr

Não há como negar que a opção pelo home-office resultará em salários menores na grande maioria das vezes. Queira ou não, algumas empresas encaram essa possibilidade por verem uma oportunidade de redução dos custos para se manter um funcionário fisicamente trabalhando em suas dependências. Algumas dessas empresas ainda tiram proveito da situação para contratar mão de obra mais barata. Ora, um funcionário trabalhando em casa não precisa morar perto do centro, enfrentar o trânsito nem almoçar em restaurantes caros nos arredores da empresa. Logo, eles provavelmente demandarão salários menores.

Infelizmente essa é a realidade e são poucas as empresas cujas mentes são abertas o suficiente para entender que funcionários felizes e confortáveis devolvem produtividade.

Por que então não lidar com essa situação fazendo uso da criatividade? Que tal pensar que no lugar de ganhar salários exorbitantes, não repensar os gastos? Que tal eliminar gastos supérfluos e equilibrar as contas mensais de forma que você gaste o mínimo possível? A verdadeira riqueza não são vários zeros na conta bancária, mas sim saber viver com pouco.

Quando você atinge um patamar onde sabe exatamente o quanto gasta mensalmente, suas possibilidades de fazer mágica com o salário aumentam drasticamente. Quem sabe um dia não escrevo um artigo mais completo sobre a incerteza do salário?

Instabilidade

Incerteza

Instabilidade. Créditos: Alex / Fonte: Flickr

A instabilidade é um outro fator que sempre caminha ao lado dos trabalhadores remotos. Muitas vezes os trabalhos são restritos a freelances, ausentes de contrato e não incluem FGTS, plano de saúde, entre vários outros benefícios.

Aliado ao controle dos gastos mensais, um plano B é sempre recomendável. Juntamente com eles, separar uma pequena fatia dos ganhos para investir ajudará no controle da ansiedade. Detalhe: isso apenas ajuda. O mais importante, e isso não envolve o financeiro, é ter em mente que ser um trabalhador home-office ou até mesmo um nômade digital, significa ter optado por um estilo de vida que prioriza a liberdade e o sentimento de viver fazendo o que gosta. O que pode ser mais importante do que viver fazendo algo que lhe traz prazer de verdade?

Quando estamos felizes com o que fazemos, a instabilidade se torna palpável, e conseguimos meditar a respeito dela sem cair no desespero quando alguma fonte de recursos acabar. Já escrevi um artigo falando que o trabalho não é inimigo de sua viagem, que complementará o que estou dizendo aqui.

Siga nossa página no Facebook

Ausência de um plano de carreira

Escritório

Escritório. Créditos: Republic of Korea / Fonte: Flickr

Ah, o plano de carreira, quanto tempo não ouço falar nesse cara.

Bom, tenho de ser sincero com você, plano de carreira para um trabalho remoto vai ser difícil. Salvo, como disse anteriormente, nas empresas de mente evoluída, digamos assim.

Não tenho aqui um conselho bem resolvido a respeito de como lidar com a ausência de um plano de carreira, mas compartilho com vocês o que penso: durante os 10 anos em que estive inserido diretamente no mercado de trabalho, fiz entrevistas em várias empresas de tecnologia. A partir de um certo momento, comecei a perceber que muito mais importante do que um currículo rico em experiência era o profissionalismo e a segurança que você transmite durante o processo de contratação.

Só me resta pensar que, se por acaso um dia eu precisar voltar ao mercado por qualquer motivo, não importará se passei vários anos sem ter evoluído meu cargo, mas sim a carga de aprendizado que obtive nesse meio tempo. As situações vividas, os desafios enfrentados e a capacidade de resolução de problemas cujo escopo é muito maior do que as experiências vividas em escritórios serão colocadas a prova. Resta confiar que isso tudo fará diferença, e se não fizer, terei mais um grande desafio a superar.

Desconfiança por parte dos contratantes

Câmeras de segurança

Câmeras de segurança. Créditos: CWCS Managed Hosting / Fonte: Flickr

Como já disse várias vezes nesse mesmo artigo, poucas são as empresas realmente evoluídas a ponto de se sentirem confortáveis com seus funcionários trabalhando remotamente. Infelizmente a maioria delas prefere ficar em cima, fazendo uso do telefone o tempo todo, ligando para seu Skype, cercando-lhe no WhatsApp e, em alguns casos, não respeitando nem mesmo sua presença no Facebook.

Há casos em que o contratante exige que você faça uso de softwares que enviam alertas quando sua estação de trabalho fica inativa por um tempo. Desnecessário, não é? Sim, é desnecessário, mas é a realidade.

Não há uma fórmula mágica para solucionar isso, mas sim uma postura a ser adotada.

Tão importante quanto demonstrar produtividade, entregar as demandas no prazo e atender com rapidez os contatos feitos pelo contratante é estabelecer limites. A definição de canais de comunicação, horários disponíveis para atendimento e prazos deve ser realizada em comum acordo de forma que isso fique bom também para você. Uma postura profissional e que mostre que você se valoriza com relação ao bem-estar servirá para provar sua evolução e maturidade com relação a essa forma de trabalho. Acredite em mim, uma relação de confiança será muito mais produtiva e prazerosa do que qualquer modelo de trabalho baseado em formas de comprovação de que o serviço está sendo feito.

Disciplina

Homem dormindo na escada

Créditos: Pedro Ribeiro Simões / Fonte: Flickr

A disciplina é um fator muito, mas muito importante na vida de todo home-office. Falar sobre disciplina como sub tópico desse artigo seria restringir um assunto muito amplo a poucas palavras, e não é o que eu quero, por isso convido você a ler um texto muito mais completo que fala exatamente sobre isso. Escrito em agosto de 2015, o artigo: “O que nós temos a dizer para quem quer ser um nômade digital” será uma leitura complementar mais profunda a respeito de disciplina, e é com essa recomendação que termino as palavras de hoje.

Como sempre, o Viajei Bonito que inspirá-lo a repensar sua vida e cogitar novas formas de trabalho mais produtivas e mais prazerosas.

Até a próxima!

Prepare-se para sua viagem

É altamente recomendável contratar um seguro viagem para garantir assistência médica em acidentes ou doenças. Você pode fazer sua cotação clicando aqui e utilizando o cupom de desconto VIAJEIBONITO5. Aprenda a contratar um seguro viagem e conheça também o seguro viagem que vale por um ano inteiro.

Adriano Castro

Formado em Ciência da Computação pela UFJF, trabalhou durante 10 anos como analista de sistemas até chutar o balde e tocar a vida como freelancer, carregando seus projetos para onde quer que vá. Créditos da imagem de capa: Markus Spiske / Fonte: Flickr