O que não falta em Minas Gerais são municípios. São 853 cidades, em sua maioria pequenas e que guardam as características e tradições que fazem de Minas Gerais um estado acolhedor e aconchegante. A região da Zona da Mata mineira, próxima ao estado do Rio de Janeiro, guarda pequenas joias, cidadezinhas com belas igrejas, cachoeiras e fazendas, da época que os senhores do café faziam a economia da região girar. Um desses lugares é Santana do Deserto.

Criada em 4 de junho de 1858, Santana do Deserto fazia parte das terras de Cândido Ferreira da Fonseca, nome responsável também pela construção da Igreja Matriz de Nossa Senhora de Santana do Deserto. A cidade fez parte de Juiz de Fora e de Matias Barbosa, sendo emancipada em 1953. Localizada a 47 km de Juiz de Fora , Santana do Deserto está na divisa com estado do Rio de Janeiro, separada de Levy Gasparian pelo rio Paraibuna e a 28 km de Três Rios, municípios do Vale do Paraíba fluminense.

A primeira vista, pode parecer só mais uma pequena cidade mineira, mas Santana do Deserto guarda fazendas centenárias, estações ferroviárias do século XIX, belezas naturais, arquitetura neoclássica, ótimos lugares para turismo de aventura, ar puro e um povo hospitaleiro e acolhedor que, rapidamente, vai te convidar para tomar uma cerveja gelada enquanto observa a vida passar!

Mas antes, que tal viajar um pouco por Minas Gerais? Veja com os seus próprios olhos que não falta o que fazer em Santana do Deserto.

Para ler em seguida

Estações ferroviárias

Além de guardar a tranquilidade das pequenas cidades mineiras, Santana do Deserto também tem a primeira estação ferroviária do estado. A Estação de Serraria, hoje desativada, foi inaugurada em 1874. Apesar de abandonada, ainda é possível parar e olhar todos os detalhes da estação. A construção é bonita e é impossível não prestar atenção. O município ainda tem outras estações: Santana do Deserto, na área urbana, e Silveira Lobo, transformadas em residências; Sossego, hoje posto de saúde da Prefeitura; e Ericeira, no distrito de mesmo nome. Quando este artigo foi escrito, em setembro de 2017, a estação de Ericeira estava em reforma para abrigar uma pousada.

Arquitetura

Como toda cidade mineira que se preze, a praça de Santana do Deserto é o local de encontros e de realização de eventos. Mas é também a praça casa de algumas preciosidades da cidade. Estão ali, na Praça Mauro Roquete Pinto, a Igreja Matriz de Nossa Senhora de Santana do Deserto, o Paço Municipal e o prédio dos Correios.

A igreja, erguida no século XIX em homenagem a Sant’Ana, tem estilo neoclássico e é pequena. Aconchegante, guarda em seu interior detalhes da época de sua construção e a devoção de toda a cidade. Todo mês de julho, a paróquia comemora o dia de Sant’Ana com uma grande festa.

Já o Paço Municipal data de 1850 e abrigou a Casa do Conselho Distrital e também foi residência de Cândido Ferreira Fonseca, aquele que doou as terras para a construção da Matriz. Hoje o local abriga a prefeitura de Santana do Deserto. O casarão onde funciona os Correios é outra boa surpresa. Seguindo o estilo da igreja, ele completa o conjunto arquitetônico que enche de charme o centro da cidade.

Casa dos Correios em Santana do Deserto, Minas Gerais, Brasil

Casa dos Correios em Santana do Deserto, Minas Gerais, Brasil. Créditos: Iracema Martins

Fazendas centenárias

Com menos de 4 mil habitantes, Santana do Deserto tem a maior concentração de criadores de gado Brahma da região e ainda guarda lembranças de quando o café era o principal produto da cidade. Uma delas é a Fazenda Santa Sophia. Construída em meados do século XIX, a fazenda é bem conservada e ainda preserva os engenhos de café e cana, a serraria, os terreiros de secar café, a enfermaria dos escravos e parte da senzala. No interior da sede está um grande acervo familiar, como mobiliários, pianos, telas a óleo e biblioteca.

A Santa Sophia serviu de cenário para a gravação do filme “Memórias Póstumas de Brás Cuba”, adaptação para o cinema do livro de Machado de Assis. A Fazenda Santa Clara, no distrito de Sossego, também foi uma grande produtora de café e durante muitos anos foi a hospedagem do escritor Pedro Nava. É a única fazenda da região sudeste em estilo neoclássico francês. Todas as outras são de estilo português. Hoje em dia a Santa Clara é um centro de criação de cavalos manga-larga machador.

A Fazenda da Gruta possui em seus terrenos uma reserva ambiental e também, claro, uma gruta. Dentro da fazenda há um grande Jequitibá Rosa, com aproximadamente 800 anos. Por ali também há cachoeiras, deixando o contato com a natureza ainda mais gostoso.

Continua após a publicidade

Esportes de aventura

Na estrada que liga Santana do Deserto ao município de Comendador Levy Gasparian está a Pedra do Macuco. Perfeita para escaladas e trilhas, o topo da pedra guarda uma vista bonita para o vale em que estão as duas cidades. Os arredores da pedra também são perfeitos para a prática de moutain bike já que é formado por subidas e trilhas em meio à mata.

Cachoeira da Saudade, em Santana do Deserto, Minas Gerais

Cachoeira da Saudade, em Santana do Deserto, Minas Gerais. Créditos: Iracema Martins

Pousadas em Santana do Deserto

Não há registros de pousadas em Santana do Deserto no Booking, tampouco no Hostelworld, mas existe uma charmosa fazenda em Matias Barbosa que fica apenas 15 km da cidade. Procure pela Fazenda do Vale e usufrua do melhor que a natureza pode oferecer.

Como chegar a Santana do Deserto

De carro: saindo de Juiz de Fora basta seguir pela BR-040, sentido Rio de Janeiro, até o retorno no km 820. Após o retornar, pegar a AMG-3070. São cerca de 10 km até Santana do Deserto. Em menos de 50 minutos você conclui a viagem.

De ônibus: a viação Sertaneja é a responsável pelo trecho e possui apenas dois horários, às 16h30 saído de Juiz de Fora e às 5h45 saindo de Santana do Deserto. A passagem custa R$33 e, por passar por cidades do entorno, a viagem é mais longa, cerca de 2h.

Outra opção é pegar o ônibus da viação Progresso para Três Rios, desembarcar em Levy Gasparian e lá esperar pelo ônibus da viação Sertaneja que faz a linha Três Rios x Santana do Deserto e Petrópolis x Mar de Espanha. As informações de horários e tarifas estão no site da empresa. Já a passagem Juiz de Fora x Três Rios custa cerca de R$20.

Viram que não falta o que fazer em Santana do Deserto? Conhece a cidade e acha que faltou algum lugar? Ama os pequenos lugares de Minas Gerais? Conta para gente nos comentários!

Até o próximo artigo!

Prepare-se para sua viagem

Quer economizar em sua viagem? Conheça então os cupons de desconto oferecidos pelo Viajei Bonito.

Mesmo sem a obrigatoriedade de contratar um seguro viagem ao viajar pelo Brasil, é altamente recomendável para garantir assistência médica em acidentes ou doenças. Você pode fazer sua cotação clicando aqui e utilizando o cupom de desconto VIAJEIBONITO5. Aprenda a contratar um seguro viagem e conheça também o seguro viagem que vale por um ano inteiroE se liga que tá rolando promoção! Até o dia 21/11/19 você pode usar o cupom BLACK para garantir 15% de desconto em sua apólice! Aproveite esse descontão porque ele é por tempo limitado! Como alternativa, nós sugerimos que você também faça uma cotação na Real Seguro Viagem.

Pesquise por preços de passagens aéreas para destinos nacionais e internacionais na plataforma da Kayak. Aprenda a criar um alerta de passagens aéreas em promoção.

Se você teve algum voo cancelado, atrasado, perda de conexão, overbooking, extravio de bagagem ou outros tipos de imprevisto com companhias aéreas, faça aqui uma consulta e descubra se você tem direito a indenizações. A Resolvvi cuida de toda a burocracia e você recebe o valor sem sair de casa, além de pagar apenas se ganhar.

A ClickBus é uma plataforma para compra de passagens de ônibus no Brasil indicada pela ampla quantidade de itinerários. Utilize o cupom ABUS5 para garantir 5% em sua compra.

Receba um desconto em sua primeira viagem com a Uber ao utilizar o cupom 9udns9 durante o cadastro pelo aplicativo ou então através deste link.

Iracema Martins

Jornalista por formação e vocação, adora viajar e adora mais ainda viajar pelas páginas dos livros. Ama museus e se pudesse vivia dentro de um.

Ver mais artigos de Iracema Martins

Créditos da imagem de capa: Iracema Martins

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *