O que você não pode perder em Foz do Iguaçu

Se você é do tipo que gosta de curtir uma trip de andar no meio do mato, atravessar cachoeiras, se aventurar por terras com todo tipo de animal silvestre e desbravar o mundo imerso em uma natureza exuberante e preservada, Foz do Iguaçu seria seu lugar no mundo. O mais legal de Foz é que esse é um destino que surpreende. Você pode pesquisar quantas fotos quiser no Google, nenhuma lente terá o enquadramento suficiente que dê conta da grandiosidade e da plenitude dessas cataratas. Não é à toa que Foz está entre os destinos nacionais mais visitados. O soar da natureza é realmente sacralizado naquele lugar (chega a dar medo a imensidão e a força das águas)…

Se bateu o interesse de conhecer Foz, tente planejar sua viagem com uma certa antecedência e separe uns 4 dias inteiros para sua viagem: um dia pra cataratas na parte brasileira, outro pra parte argentina, um terceiro dia para visitar a usina de Itaipu e um último dia para compras no Paraguai. Você pode ter a sorte e conseguir fazer tudo em 3 dias, mas de fato fica muito apertado e cansativo.

A melhor maneira de chegar a Foz do Iguaçu seria de avião, mas existem opções de ônibus que não são muito baratas se comparadas a promoções de passagens aéreas. Eu peguei um voo do Rio a Foz, fazendo conexão em Curitiba e foi confortável e nada cansativo. É possível reduzir os gastos em Foz economizando com hospedagens em albergues e transportes, mas é sempre bom garantir o gasto dos parques com antecedência.

Onde se hospedar em Foz do Iguaçu

Existem muitas opções de quartos, apartamentos e hostels em Foz do Iguaçu. Cadastrando-se no Airbnb através do nosso link, você ganha descontos da primeira hospedagem. Caso prefira ficar em um hotel, aconselhamos o CLH Suítes Foz do Iguaçu.

Cataratas do Iguaçu, uma das Sete Maravilhas da Natureza, na divisa entre Brasil e Argentina
Cataratas do Iguaçu, uma das Sete Maravilhas da Natureza, na divisa entre Brasil e Argentina. Créditos: mark goble / Fonte: Flickr

Cataratas (lado brasileiro)

O transporte público para o parque do lado brasileiro é bem acessível. Lembro que mesmo sendo final de semana, foi muito fácil pegar o ônibus local. Se você pedir orientação no seu hotel/albergue eles certamente saberão de informar. Você verá pessoas vendendo capas de chuva, mas não acho tão necessário se estiver calor. O lado mais legal do parque do lado brasileiro é uma espécie de ponte que passa bem no meio das cataratas e possibilidade uma vista incrível dentro da queda d´água. O parque funciona diariamente entre 9h às 17h e o ingresso custa a partir de R$34,30. Assim que você entra no parque, um ônibus te conduz até as proximidades das cataratas e é possível por meio do mapa, escolher a trilha que quer fazer.

Parque das Aves

Este parque fica exatamente na saída da entrada ao parque pelo lado brasileiro e funciona até às 17h. Uma boa indicação é tentar ir ao parque de foz o mais cedo, aproveitar bem o dia e sair em torno de 15h/15h30 pra conseguir visitar o parque das aves. Eu confesso que fui sem nenhuma expectativa, mas que fiquei encantada com esse zoológico especializado em aves. Existem algumas gaiolas e cativeiros enormes e gigantescos onde o visitante pode entrar e interagir com esses animais. Um lugar muito simpático e agradável. Entrada: R$30,00

Itaipu

O passeio na usina de Itaipu é bem legal e vale a pena. É muita grandiosidade envolvida em um mesmo projeto. Não crie expectativas de ver aberta parte da barragem que segura a água (isso acontece em média só duas vezes por ano e é questão de sorte). Mas mesmo assim só a ida à usina já vale. Os guias ensinam todo o funcionamento daquela imensa máquina e à noite tem espetáculo de luzes com trilha sonora. O passeio panorâmico dura 1h30 e o local é de fácil acesso.

Mapa do Complexo de Itaipu
Mapa do Complexo de Itaipu. Créditos: Deni Williams / Fonte: Flickr

Templo Budista

Em Foz ainda é possível visitar o famoso Templo Budista. O acesso de transporte público até lá é precário, então demoramos muito tempo pra ir e voltar. Mas o templo é realmente muito grandioso. Centenas de estátuas em destaque no meio do parque completam o ambiente. Achei esse parque maravilhoso e uma atração alternativa às águas cataratas. Funcionamento de 9h30 às 17h e a entrada é gratuita.

Cataratas (lado argentino)

Se pintar aquela dúvida se o lado brasileiro só não é o suficiente pra conhecer Foz, a resposta é “não”. Tanto os parques quanto a própria paisagem, as trilhas e a natureza são muito distintas entre esses dois lugares. Cada um tem seu valor: o lado brasileiro possui, a meu ver, uma infraestrutura um pouco melhor, assim como a vista das cataratas em geral. Entretanto, no lado argetino você pode visualizar exatamente a “boca” da Garganta Del Diablo, que seria a origem e o início das quedas d´água do conjunto de cataratas do parque. No argentino você pega um trenzinho para subir até a região das cataratas e minha dica é: priorize a visita na Garganta Del Diablo. É de arrepiar porque a sensação que dá é que a terra tá sendo engolida por aquela quantidade de água absurda que cai numa espécie de buraco (parece um buraco olhando de cima, daí o nome “garganta”). Existem transportes locais que fazem o trajeto e recomendamos ver esse passeio com antecedência. Como não agendamos tivemos que ir de táxi e pagamos um valor mais caro de deslocamento. O horário de funcionamento é entre 8h e 18h e o valor é 330 pesos argentinos. (cerca de R$75 reais).

Observação: os brasileiros pagam mais barato no parque brasileiro e os argentinos também pagam mais barato no lado de seu país.

Compras no Paraguai

Eu sou a pessoa menos indicada pra falar sobre “compras” porque eu tenho pavor de shoppings e lojas. Fui sem a intenção de comprar nada, mas acabei comprando um secador de cabelo por R$40,00. É um destino muito interessante e obrigatório pra fechar o roteiro em Foz do Iguaçu e mais ainda pra quem curte comprar. Achei o maior barato atravessar junto aos “muambeiros” a ponte da amizade que é muito grande, cheia de gente vendendo coisas, gritando, maior barato. Não é tão fácil chegar nessa região com transporte público, então pegamos um táxi. Pagamos corrida de R$35,00 para três pessoas. Não achei as coisas muito mais baratas do que na 25 de março em São Paulo e achei bem caro os produtos importados nos shoppings e nas famosas lojas Monalisa. Vale a pena pesquisar e é um passeio interessante mesmo pra quem não vai comprar nada.

Viu como é fácil visitar três países em uma viagem só? Se você já visitou Foz do Iguaçu e tem outras dicas, compartilhe com a gente.

O que você não pode perder em Foz do Iguaçu

Prepare-se para viajar

Use o cupom SEGURANCA para adquirir o seguro viagem com até 20% de desconto. Além da cobertura médico-hospitalar, você também estará protegido em casos de cancelamento de viagem, extravio ou danos à bagagem.

Ícone hotel

Reserve hospedagem com antecedência através do Booking e Hostelworld para garantir preços promocionais. Parcelamento sem juros no cartão de crédito e possibilidade de cancelamento reembolsável.

Garanta internet em mais de 210 países utilizando o chip da Easysim4u, que nós já testamos na Europa e do norte ao extremo sul das Américas. Use o cupom SPRING e garanta 50% de desconto.

Economize em passagens aéreas usando o comparador de preços ou a ferramenta quando viajar, um calendário que mostra as tarifas mais baixas para o destino que você escolher.

Tenha liberdade para ir aonde quiser alugando um carro através da Rentcars, que atua em parceria com locadoras renomadas do mundo todo. Parcele sem IOF em até 12x ou cancele sem custos.

Pague menos comprando suas passagens de ônibus com a ClickBus,  a empresa líder em vendas online de passagens rodoviárias, trabalhando em parceria com mais de 140 empresas em mais de 4 mil destinos!

Faça passeios guiados em qualquer lugar do mundo e fure a fila comprando ingressos com antecedência através da GetYourGuide. Cancele sua reserva até 24 horas antes do início de sua atividade e obtenha reembolso integral.

Lívia Machado

Jornalista por formação, Livinha Machado adotou desde 2011 a filosofia mochileira. Já morou na China e Alemanha e conhece mais de 20 países. Atualmente mora no Rio de Janeiro (uma de suas cidades favoritas), trabalha em uma produtora cultural, estuda para doutorado e planeja sua próxima viagem para o sudeste asiático.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para o topo