Se você é do tipo que gosta de curtir uma trip de andar no meio do mato, atravessar cachoeiras, se aventurar por terras com todo tipo de animal silvestre e desbravar o mundo imerso em uma natureza exuberante e preservada, Foz do Iguaçu seria seu lugar no mundo. O mais legal de Foz é que esse é um destino que surpreende. Você pode pesquisar quantas fotos quiser no Google, nenhuma lente terá o enquadramento suficiente que dê conta da grandiosidade e da plenitude dessas cataratas. Não é à toa que Foz está entre os destinos nacionais mais visitados. O soar da natureza é realmente sacralizado naquele lugar (chega a dar medo a imensidão e a força das águas)…

Se bateu o interesse de conhecer Foz, tente planejar sua viagem com uma certa antecedência e separe uns 4 dias inteiros para sua viagem: um dia pra cataratas na parte brasileira, outro pra parte argentina, um terceiro dia para visitar a usina de Itaipu e um último dia para compras no Paraguai. Você pode ter a sorte e conseguir fazer tudo em 3 dias, mas de fato fica muito apertado e cansativo.

A melhor maneira de chegar a Foz do Iguaçu seria de avião, mas existem opções de ônibus que não são muito baratas se comparadas a promoções de passagens aéreas. Eu peguei um voo do Rio a Foz, fazendo conexão em Curitiba e foi confortável e nada cansativo. É possível reduzir os gastos em Foz economizando com hospedagens em albergues e transportes, mas é sempre bom garantir o gasto dos parques com antecedência.

Onde se hospedar em Foz do Iguaçu

Existem muitas opções de quartos, apartamentos e hostels em Foz do Iguaçu. Cadastrando-se no Airbnb através do nosso link, você ganha descontos da primeira hospedagem. Caso prefira ficar em um hotel, aconselhamos o CLH Suítes Foz do Iguaçu (70).

Cataratas do Iguaçu, uma das Sete Maravilhas da Natureza, na divisa entre Brasil e Argentina
Cataratas do Iguaçu, uma das Sete Maravilhas da Natureza, na divisa entre Brasil e Argentina. Créditos: mark goble / Fonte: Flickr

Cataratas (lado brasileiro)

O transporte público para o parque do lado brasileiro é bem acessível. Lembro que mesmo sendo final de semana, foi muito fácil pegar o ônibus local. Se você pedir orientação no seu hotel/albergue eles certamente saberão de informar. Você verá pessoas vendendo capas de chuva, mas não acho tão necessário se estiver calor. O lado mais legal do parque do lado brasileiro é uma espécie de ponte que passa bem no meio das cataratas e possibilidade uma vista incrível dentro da queda d´água. O parque funciona diariamente entre 9h às 17h e o ingresso custa a partir de R$34,30. Assim que você entra no parque, um ônibus te conduz até as proximidades das cataratas e é possível por meio do mapa, escolher a trilha que quer fazer.

Parque das Aves

Este parque fica exatamente na saída da entrada ao parque pelo lado brasileiro e funciona até às 17h. Uma boa indicação é tentar ir ao parque de foz o mais cedo, aproveitar bem o dia e sair em torno de 15h/15h30 pra conseguir visitar o parque das aves. Eu confesso que fui sem nenhuma expectativa, mas que fiquei encantada com esse zoológico especializado em aves. Existem algumas gaiolas e cativeiros enormes e gigantescos onde o visitante pode entrar e interagir com esses animais. Um lugar muito simpático e agradável. Entrada: R$30,00

Itaipu

O passeio na usina de Itaipu é bem legal e vale a pena. É muita grandiosidade envolvida em um mesmo projeto. Não crie expectativas de ver aberta parte da barragem que segura a água (isso acontece em média só duas vezes por ano e é questão de sorte). Mas mesmo assim só a ida à usina já vale. Os guias ensinam todo o funcionamento daquela imensa máquina e à noite tem espetáculo de luzes com trilha sonora. O passeio panorâmico dura 1h30 e o local é de fácil acesso.

Mapa do Complexo de Itaipu
Mapa do Complexo de Itaipu. Créditos: Deni Williams / Fonte: Flickr

Templo Budista

Em Foz ainda é possível visitar o famoso Templo Budista. O acesso de transporte público até lá é precário, então demoramos muito tempo pra ir e voltar. Mas o templo é realmente muito grandioso. Centenas de estátuas em destaque no meio do parque completam o ambiente. Achei esse parque maravilhoso e uma atração alternativa às águas cataratas. Funcionamento de 9h30 às 17h e a entrada é gratuita.

Cataratas (lado argentino)

Se pintar aquela dúvida se o lado brasileiro só não é o suficiente pra conhecer Foz, a resposta é “não”. Tanto os parques quanto a própria paisagem, as trilhas e a natureza são muito distintas entre esses dois lugares. Cada um tem seu valor: o lado brasileiro possui, a meu ver, uma infraestrutura um pouco melhor, assim como a vista das cataratas em geral. Entretanto, no lado argetino você pode visualizar exatamente a “boca” da Garganta Del Diablo, que seria a origem e o início das quedas d´água do conjunto de cataratas do parque. No argentino você pega um trenzinho para subir até a região das cataratas e minha dica é: priorize a visita na Garganta Del Diablo. É de arrepiar porque a sensação que dá é que a terra tá sendo engolida por aquela quantidade de água absurda que cai numa espécie de buraco (parece um buraco olhando de cima, daí o nome “garganta”). Existem transportes locais que fazem o trajeto e recomendamos ver esse passeio com antecedência. Como não agendamos tivemos que ir de táxi e pagamos um valor mais caro de deslocamento. O horário de funcionamento é entre 8h e 18h e o valor é 330 pesos argentinos. (cerca de R$75 reais).

Observação: os brasileiros pagam mais barato no parque brasileiro e os argentinos também pagam mais barato no lado de seu país.

Compras no Paraguai

Eu sou a pessoa menos indicada pra falar sobre “compras” porque eu tenho pavor de shoppings e lojas. Fui sem a intenção de comprar nada, mas acabei comprando um secador de cabelo por R$40,00. É um destino muito interessante e obrigatório pra fechar o roteiro em Foz do Iguaçu e mais ainda pra quem curte comprar. Achei o maior barato atravessar junto aos “muambeiros” a ponte da amizade que é muito grande, cheia de gente vendendo coisas, gritando, maior barato. Não é tão fácil chegar nessa região com transporte público, então pegamos um táxi. Pagamos corrida de R$35,00 para três pessoas. Não achei as coisas muito mais baratas do que na 25 de março em São Paulo e achei bem caro os produtos importados nos shoppings e nas famosas lojas Monalisa. Vale a pena pesquisar e é um passeio interessante mesmo pra quem não vai comprar nada.

Viu como é fácil visitar três países em uma viagem só? Se você já visitou Foz do Iguaçu e tem outras dicas, compartilhe com a gente.

Lívia Machado
Jornalista por formação, Livinha Machado adotou desde 2011 a filosofia mochileira. Já morou na China e Alemanha e conhece mais de 20 países. Atualmente mora no Rio de Janeiro (uma de suas cidades favoritas), trabalha em uma produtora cultural, estuda para doutorado e planeja sua próxima viagem para o sudeste asiático. Ver mais artigos de Lívia Machado Créditos da imagem de capa: mark goble / Fonte: Flickr
Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *