O roteiro do Caminho Novo que liga Ouro Preto até a cidade do Rio de Janeiro é um dos mais ricos da Estrada Real. Entre cidades históricas, polos regionais, fazendas e belas paisagens, esse caminho também guarda pequenas cidades, dessas que fazem a gente ter certeza que a felicidade mora na roça. Um desses lugares é São José das Três Ilhas.

Localizada a 53 km de Juiz de Fora, São José das Três Ilhas é um distrito de Belmiro Braga que possui apenas 250 habitantes. O vilarejo, tão gracioso, ainda está fora dos circuitos mais procurados pelos turistas, o que é uma pena, tendo em vista que o traçado urbano da rua principal permanece intacto desde seu tempos áureos, preservando casarões coloniais que formam um belo conjunto arquitetônico, além de uma imponente igreja de pedra construída em estilo neorromânico.

Para ler em seguida

O que fazer em São José das Três Ilhas

Se você era criança nos anos 1990, provavelmente vai achar São José das Três Ilhas um tanto familiar. É que o distrito foi a locação escolhida para as gravações do filme “Menino Maluquinho 2”, gravado em 1997. Na história, o personagem principal ia passar férias na cidadezinha onde morava o avô, papel interpretado por Stênio Garcia. Mas e na vida real, o que fazer em São José das Três Ilhas?

Para quem procura se desligar do mundo, não há destino melhor que esse, onde o contato com o mundo é presencial, não há conexão 3G e muito menos wi-fi. Sinal de celular até pega em alguns lugares, mas pra quê? Há tantas histórias curiosas para ouvir da boca dos moradores, seria um desperdício trocar uma boa prosa tête-à-tête por bate papo ao telefone.

Aproveite o dia para respirar ar puro, entrar em contato com a natureza, observar o patrimônio histórico e degustar o melhor da gastronomia mineira no único restaurante local.

A igreja de Pedra

A Matriz de São José foi erguida com recursos cedidos por três barões do café, entre eles Bernardino de Barros, o Barão das Três Ilhas. A igreja começou a ser construída pelos escravos, já no final do século XIX, mas as obras foram interrompidas com a abolição da escravatura e retomadas anos mais tarde. A princípio ela foi construída com pedras, mas com o retorno das obras o material também mudou, sendo substituídos por tijolos de barro, que eram mais leves e mais baratos. O viajante displicente nem nota esse detalhe, mas quem observa atentamente as torres consegue vê-lo nitidamente.

Outra curiosidade da igreja de pedra de São José das Três Ilhas diz respeito ao anjo que ornamenta o chafariz do jardim. Moradores contam que o tal querubim ficava em uma lápide do cemitério local, mas que durante uma forte chuva ele teve as asas quebradas. Para salvar o que sobrou do monumento, colocaram-no ali.

Ao longo da rua e ao lado da igreja podemos ver também cinco Passos da Paixão de Cristo, pequenas capelinhas com portas de madeira que sobreviveram ao tempo.

Vale lembrar que a igreja não fica aberta todos os dias, apenas durante as missas, que acontecem sempre no primeiro domingo de cada mês, às 11h.

Fora desse período é necessário procurar pelo Adilson ou pela Dona Laura, que são as pessoas que ficam com as chaves e cuidam da igreja. Para achá-los é fácil, basta perguntar para qualquer morador que passar pela rua. Todo mundo se conhece.

A chave da Matriz de São José está em posse de moradores locais. Basta encontrá-los para visitar o interior da igreja

A chave da Matriz de São José está em posse de moradores locais. Basta encontrá-los para visitar o interior da igreja. Créditos: Gisele Rocha

Importante saber: não é permitido fotografar o interior da igreja devido ao desgaste das pinturas que infelizmente ainda não foram restauradas por falta de verba. Não seja um desses turistas predatórios que só pensa naquele click para o Instagram, ok?

Mais uma dica: o único restaurante de São José das Três Ilhas fecha bem cedo, por volta das 13h. Então, se você for ficar algum tempo pela cidade, não se atrase e leve um lanche na mochila por precaução. Do contrário, só conseguirá comer em Belmiro Braga.

Continua após a publicidade

Fazendas do Ciclo do Café

Localizadas nas divisas entre os estados de Minas Gerais e Rio de Janeiro, as fazendas de Belmiro Braga e Rio das Flores possuem grande valor histórico, cultural e arquitetônico e são lembranças do Ciclo do Café, da riqueza e imponência da região naquele período.

Em Belmiro Braga visite a Fazenda Boa Esperança. A construção dos anos 1870 foi erguida pelo Barão das Três Ilhas, Bernardino de Barros. Ainda hoje, a Boa Esperança conserva móveis, documentos e objetos daquela época. Ela é aberta a visitação, mas é preciso entrar em contato com o proprietário para agendar o passeio.

Já em Rio das Flores, atravessando a fronteira do Rio de Janeiro, encontramos a Fazenda União (87), que foi construída no século XIX e hoje figura entre as mais preservadas remanescentes daquele período. O casarão de 1836 foi construído a mando do Visconde do Rio Preto e preserva o mobiliário original, por isso é tombado pelo Patrimônio Histórico Nacional. O lugar funciona hoje como um hotel de luxo que atrai àqueles que buscam vestígios do que foi o Ciclo do Café na região do Vale do Paraíba.

Também construída em Rio das Flores por ordem de Visconde do Rio Preto, a Fazenda do Paraízo produziu café até meados da década de 1950 e hoje dedica-se a produção de gado. O casarão possui 2200 metros quadrados e preserva móveis e objetos do século XIX.

Entender a riqueza da região durante o século XIX é olhar para a sede da Fazenda Paraízo: dois andares com 58 cômodos, 99 janelas, mobiliário francês, lustres de cristais e pinturas artísticas nas paredes. O local é aberto a visitação mediante agendamento prévio no site da fazenda.

Pousada em São José das Três Ilhas

Por ser um vilarejo muito pequeno e com pouca estrutura turística, não há pousadas em São José das Trilhas. A opção é se hospedar em Belmiro Braga, que fica a 13 km de distância, em Rio das Flores que está a 27 km ou em Juiz de Fora, a 53 km.

Entre as opções de hospedagem encontramos a Pousada Lago das Pedras*, em Juiz de Fora, com vários chalés e uma piscina deliciosa. Mas se você deseja ficar mais próximo às atrações da região de São José das Três Ilhas, é mais conveniente ficar em Rio das Flores, seja na Fazenda União (87), a Vila Flor (93) ou na Pousada Lírios do Campo (79).

* Atualização: em 15 de outubro de 2018 identificamos que a Pousada Lago das Pedras não estava mais disponível no Booking. Ritz Plaza Hotel é a nossa sugestão para Juiz de Fora.

Quando ir a São José das Três Ilhas?

Uma época ótima para conhecer São José das Três Ilhas é durante o mês do julho. O distrito realiza a Festa de São José que conta com almoço com comidas mineiras, sorteios de prêmios, exibição de filmes, shows, orquestra e missa sertaneja. Uma oportunidade única de conhecer a localidade e apreciar a vida de quem vive por lá.

Como chegar a São José das Três Ilhas

Estrada para São José das Três Ilhas, em Minas Gerais

Estrada para São José das Três Ilhas, em Minas Gerais. Créditos: Gisele Rocha

Saindo de Juiz de Fora: basta seguir pela BR-040 sentido Rio de Janeiro até a saída 802. A partir dali siga pela MG-353 até a Estrada de Belmiro Braga. Chegando na cidade, são mais 20 km de estrada de chão até São José das Três Ilhas. A viagem leva um pouco mais de 1h.

Saindo do Rio de Janeiro: há dois trajetos para se chegar a Belmiro Braga a partir da capital fluminense. O primeiro é bem parecido com o caminho de quem vem de Juiz de Fora: basta seguir a BR-040 sentindo Juiz de Fora até a saída 802 e seguir pela MG-353 até Belmiro Braga. Nesse trajeto, a viagem leva cerca de 3h. A outra opção é seguir pelo interior do estado do Rio de Janeiro pela Rodovia Presidente Dutra até a RJ-145 em Piraí. Siga pela rodovia até a divisa entre os estados de Minas Gerais e Rio de Janeiro, em Rio das Flores. Da cidade até São José das Três Ilhas são 27 km. A viagem dura no total um pouco mais de 4h.

Prepare-se para sua viagem

Quer economizar em sua viagem? Conheça então os cupons de desconto oferecidos pelo Viajei Bonito.

Mesmo sem a obrigatoriedade de contratar um seguro viagem ao viajar pelo Brasil, é altamente recomendável para garantir assistência médica em acidentes ou doenças. Você pode fazer sua cotação clicando aqui e utilizando o cupom de desconto VIAJEIBONITO5. Aprenda a contratar um seguro viagem e conheça também o seguro viagem que vale por um ano inteiroE se liga que tá rolando promoção! Até o dia 22/08/19 você pode usar o cupom OBA para garantir 10% de desconto em sua apólice! Aproveite esse descontão porque ele é por tempo limitado! Como alternativa, nós sugerimos que você também faça uma cotação na Real Seguro Viagem.

Pesquise por preços de passagens aéreas para destinos nacionais e internacionais na plataforma da Passagens Promo.

Se você teve algum voo cancelado, atrasado, perda de conexão, overbooking, extravio de bagagem ou outros tipos de imprevisto com companhias aéreas, faça aqui uma consulta e descubra se você tem direito a indenizações. A Resolvvi cuida de toda a burocracia e você recebe o valor sem sair de casa, além de pagar apenas se ganhar.

A ClickBus é uma plataforma para compra de passagens de ônibus no Brasil indicada pela ampla quantidade de itinerários. Utilize o cupom ABUS05 para garantir 5% em sua compra.

Receba um desconto em sua primeira viagem com a Uber ao utilizar o cupom adrianoc135ue durante o cadastro pelo aplicativo ou então através deste link.

Adicione ao Pinterest

Clique na imagem para adicionar este artigo em seu Pinterest e veja também nossos painéis. Foto por: Gisele Rocha

Gisele Rocha

Formada em Comunicação Social pela UFJF. Andou meio mundo tentando descobrir o que queria fazer, até descobrir que queria mesmo era andar pelo mundo.

Ver mais artigos de Gisele Rocha

Créditos da imagem de capa: Gisele Rocha

14 comentários em “Uma volta ao passado em São José das Três Ilhas, Minas Gerais”

  1. Muito legal esse lugar! Às vezes é muito bom visitar lugares assim pra gente entender o passado e o essencial, né?! Adorei as fotos. Ficaram com um clima super misterioso. E essa chavona?! Gigante, hein?! Hehehe.

  2. Moro do lado de Juiz de Fora e nunca ouvi falar de São José das Três Ilhas…parece uma típica cidadezinha mineira. Fiquei com vontade de conhecer, quando for a JF tentarei dar um pulinho aí.

  3. Puxa Gisele que post fantastico! Eu nunca tinha ouvido falar em São José das Trilhas apesar de amar arquitetura colonial e as cidades históricas de Minas. Pena que agora moro fora do Brasil, mas quem sabe um dia retorno e faço esse roteiro né?

    bjs
    Dani Bispo
    abolonhesa.com

  4. Queria ficar u mês inteiro só conhecendo essas cidadezinhas de Minas Gerais, que me fascinam! Eu ainda não havia lido nada sobre essa cidade, super legal sua matéria!

  5. Nunca tinha ouvido falar da Estrada Real e desse destino! Adorei as fotos e a descrição da viagem. A Igreja de Pedra parece imponente e fazer as fazendas do café parece um roteiro super interessante!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *