Trilha Inca: tudo sobre a caminhada mais antiga para Machu Picchu

Machu Picchu é um dos destinos mais procurados pelos turistas de todo o mundo e a forma mais interessante de ingressar ao santuário é pelo portal de Inti Punku (Porta do Sol), que foi um ponto estratégico usado pelos incas para descanso e como templo sagrado de agradecimento antes de adentrarem ao santuário. Porém, o acesso a esse portal somente pode ser feito pela Trilha Inca, que é a caminhada mais antiga e conhecida de toda a América do Sul e uma das mais populares do mundo.

Durante os dias de trekking pelo caminho, se nota uma grande variedade de vegetação, plantas, pássaros e fascinantes sítios arqueológicos como Llactapata, Runkuraqay, Sayacmarca, Phuyupatamarca e Wiñaywayna. Essa rota, na época incaica tinha o nome de Qhapap Ñan, que na linguagem Chéchua significa, “grande caminho inca” ou ainda, “caminho do rei ou do poder”, que na época incaica era percorrido somente pela nobreza e pelo rei inca para chegarem a Machu Picchu.

Uma curiosidade que muitos talvez não saibam, é que o caminho inca para Machu Picchu não é somente pela trilha inca. Ao todo, os incas criaram cerca de 40.000 km de caminhos, divididos pelas quatro regiões do Tawantinsuyo, que englobava vários países como o Peru, Bolívia, Chile, Venezuela, Colômbia, Equador e uma parte da Argentina, criando uma rede de comunicação entre todo o império inca.

Recomendações para a aclimatação na altitude

Trilha Inca, Machu Picchu, Peru

Trilha Inca, Machu Picchu, Peru. Créditos: Mit Viajes Cusco

Sempre é bom se preocupar e tomar alguns cuidados com a saúde antes de viajar para outro país, ainda mais, quando se vai fazer uma trilha de vários dias, como é o caso da Trilha Inca. O recomendável para essa rota, é fazer aclimatação de pelo menos dois dias na cidade de Cusco antes do início da trilha, para que o corpo possa se habituar com a altitude. Para isso, descansar e dormir ao máximo é um dos pontos principais, além de tomar bastante líquidos e chás da folha de coca, que possuem propriedades digestivas e curativas. Além disso, evitar esforços físicos, comer comidas gordurosas, alimentar-se na rua e não tomar bebidas alcoólicas em excesso.

Condicionamento físico para a Trilha Inca

Trilha Inca, Machu Picchu, Peru

Trilha Inca, Machu Picchu, Peru. Créditos: Mit Viajes Cusco

Claro que é importante ter um bom condicionamento físico para percorrer a trilha inca porém, não é necessário se preparar durante meses na academia. A pessoa que está habituada a fazer caminhadas diárias não terá problemas em percorrer o caminho. Entretanto, o primordial para este caminho é ter os pulmões e o coração fortes, pois a altitude nesta rota chegará aos 4.200 m.s.n.m, e ela será a maior inimiga dos turistas que vivem nos países baixos (nível do mar), pois quanto maior for a altitude, menor será a quantidade de ar nos pulmões e consequentemente, menos oxigenação no cérebro, podendo causar algumas complicações como fortes dores de cabeça, enjoos, vômitos e mal estar. Sendo assim, tanto para a trilha inca, como para a Trilha Salkantay, que são as mais procuradas no Peru, é necessário dispor de boa saúde, saber o limite de seu corpo e combinar os ritmos cardíacos e respiratórios com a caminhada.

Extensão e tempo hábil para percorrer a Trilha Inca

Trilha Inca, Machu Picchu, Peru

Trilha Inca, Machu Picchu, Peru. Créditos: Mit Viajes Cusco

Ao todo, a trilha inca possui cerca de 43 km de extensão partindo de Piscacucho, ou do km 82 da linha férrea, como é mais conhecido, tendo o destino final, a cidadela perdida dos incas. Esses 43 kms foram divididos em quatro dias, sendo os três primeiros dias de caminhada pelos caminhos incas originais e o quarto dia é a visita ao santuário de Machu Picchu, com uma média de caminhada de 5 a 7 horas diárias.

Perigos da Trilha Inca

Trilha Inca, Machu Picchu, Peru

Trilha Inca, Machu Picchu, Peru. Créditos: Mit Viajes Cusco

Assim como na trilha inca e nas demais trilhas no Peru, não há muitos relatos negativos envolvendo acidentes com turistas, mas os poucos registrados, se devem a falta de importância e atenção dos turistas em relação às recomendações de segurança dadas pelos guias turísticos. Quanto a ataques de animais selvagens, não há relatos, pois as trilhas sempre estão cheias de turistas durante todo o dia, mantendo os animais longe. Portanto, as trilhas no Peru são extremamente seguras e seguindo as recomendações de segurança dos guias turísticos, a viagem no país mais misterioso do mundo será inesquecível.

O caminho da Trilha Inca

Trilha Inca, Machu Picchu, Peru

Trilha Inca, Machu Picchu, Peru. Créditos: Mit Viajes Cusco

O caminho foi construído em sua grande parte por pedras e escadarias, sendo um caminho bem estreito, pois os incas percorriam sozinhos carregando apenas suas lhamas, por isso, em alguns trechos, só será possível caminhar uma ou duas pessoas por vez. E tratando-se de um caminho no alto das montanhas, boa parte da caminhada será beirando o abismo, onde a atenção e o cuidado deverão ser dobrados.

O dia a dia da Trilha Inca

Os dias na trilha inca sempre começarão muito cedo, pois o caminho até Machu Picchu é longo. O caminhada do primeiro dia é super tranquila, o percurso em sua grande parte será beirando o Rio Urubamba e quase todo plano. O segundo dia é o mais cansativo de todos, o caminho de subida é todo de escadarias e em poucas horas sobe-se em média mil metros de altitude até o ponto mais alto do caminho, depois o caminho é todo de descida pelas escadarias incas até o acampamento. O terceiro dia, apesar de ser o mais longo, é um dos mais bonitos e inesquecíveis, pois a paisagem muda completamente, o caminho passa a ser dentro da floresta com um clima mais tropical. Finalmente o quarto dia, após o despertar ainda de madrugada, a caminhada rumo a Inti Punku se inicia para que se possa ver o nascer do dia e em seguida, caminhada de descida para a tão esperada Machu Picchu.

A mochila para a Trilha Inca

Trilha Inca, Machu Picchu, Peru

Trilha Inca, Machu Picchu, Peru. Créditos: Mit Viajes Cusco

Na mochila para a Trilha Inca não pode faltar remédios e curativos pessoais, roupas para frio e calor, saco de dormir, bastões para caminhada, chinelo, toalha pequena, água e bebidas pessoais, snacks, bloqueador solar, repelente para mosquitos, botas de trekking com cano alto, kit higiene, papel higiênico, lenços umedecidos, óculos de sol, carregador portátil para celular, máquina fotográfica, pilhas e baterias extras.

Disponibilidades, melhor época e reserva para a Trilha Inca

Desde o ano de 2001, o governo peruano passou a controlar o acesso a trilha inca, permitindo o ingresso de turistas apenas por meio de uma agência autorizada e também, passou a controlar a quantidade de vagas, sendo apenas 500 por dia. Por isso, a reserva deve ser feita com a antecipação mínima de 6 meses. A melhor época para percorrer a trilha inca é no período de seca que são entre os meses de maio até outubro, meses secos e sem chuvas. Caso não haja mais vagas para a trilha inca ou se ainda, o mês de sua visita for em fevereiro, quando a trilha fica fechada para manutenção e recuperação, ainda há a opção de chegar à cidade de Machu Picchu em trem.

A preparação e a alimentação nos dias da Trilha Inca

Trilha Inca, Machu Picchu, Peru

Trilha Inca, Machu Picchu, Peru. Créditos: Mit Viajes Cusco

Durante o percorrido da trilha inca, a comida é preparada em acampamentos que os cozinheiros providenciam no meio do percurso. A comida é preparada na hora e de acordo, com a necessidade de nutrientes e vitaminas que o corpo precisa desde o café da manhã até o jantar. A alimentação é baseada em arroz, saladas, macarrão, legumes e verduras, carnes, frangos, peixes, cereais, cafés, leite e chás, pães, bolachas, pipoca, frutas, geleias e manteiga. Para os vegetarianos ou alérgicos a alguns alimentos, a comida é preparada de forma adequada.

Condições sanitárias na Trilha Inca

Em todos os pontos de acampamento existem banheiros, porém as condições são precárias, os sanitários, são buracos no chão. Quanto a duchas, somente no terceiro dia da trilha possui porém, a água é muito fria, sendo impossível banhar-se.

Trilha Inca e montanha Waynapicchu

Poder seguir os mesmos passos dos incas por esse caminho sagrado, é sem dúvida, uma experiência incrível e inesquecível. Além disso, ter a oportunidade de subir a montanha de Waynapicchu, onde se encontra um dos maiores templos da lua, será um privilégio inenarrável. Para isso, é necessário efetuar a reserva desta montanha juntamente com a reserva da trilha inca, pois é necessário um boleto de ingresso a parte e as vagas são limitadas em apenas 400 visitantes ao dia, divididas em dois horários na parte da manhã.

Trilha Inca: tudo sobre a caminhada mais antiga para Machu Picchu

Prepare-se para viajar

Use o cupom PAI para adquirir o seguro viagem com até 20% de desconto. Além da cobertura médico-hospitalar, você também estará protegido em casos de cancelamento de viagem, extravio ou danos à bagagem.

Ícone hotel

Reserve hospedagem com antecedência através do Booking e Hostelworld para garantir preços promocionais. Parcelamento sem juros no cartão de crédito e possibilidade de cancelamento reembolsável.

Garanta internet em mais de 210 países utilizando o chip da Easysim4u, que nós já testamos na Europa e do norte ao extremo sul das Américas. Use o cupom SPRING e garanta 50% de desconto.

Economize em passagens aéreas usando o comparador de preços ou a ferramenta quando viajar, um calendário que mostra as tarifas mais baixas para o destino que você escolher.

Tenha liberdade para ir aonde quiser alugando um carro através da Rentcars, que atua em parceria com locadoras renomadas do mundo todo. Parcele sem IOF em até 12x ou cancele sem custos.

Pague menos comprando suas passagens de ônibus com a ClickBus,  a empresa líder em vendas online de passagens rodoviárias, trabalhando em parceria com mais de 140 empresas em mais de 4 mil destinos!

Faça passeios guiados em qualquer lugar do mundo e fure a fila comprando ingressos com antecedência através da GetYourGuide. Cancele sua reserva até 24 horas antes do início de sua atividade e obtenha reembolso integral.

Viajei Bonito

Somos duas pessoas apaixonadas por movimento. Para nós, cair na estrada é mais importante do que um projeto futuro de estabilidade e quaisquer oportunidades de novas viagens, por mais remotas e loucas que pareçam ser, a gente tá pegando!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para o topo