Planejar uma viagem: o que você deve saber

Planejar uma viagem é uma etapa importantíssima do processo que nasce quando há o desejo de viajar. Um bom planejamento vai ser decisivo em vários aspectos: para onde será a viagem, quando será e quanto de dinheiro ela exigirá.

Em alguns casos, planejar uma viagem pode ser até divertido! Especialmente quando isso ajuda a controlar a ansiedade. Ter mais claridade do que será necessário providenciar diminuirá as chances de surpresas desagradáveis e isso é parte fundamental de uma viagem tranquila.

Nesta página procuramos responder às perguntas de nossos leitores para mantê-la sempre atualizada e, principalmente, útil. Descubra nos próximos parágrafos como planejar uma viagem – nacional ou internacional – e como o Viajei Bonito pode ajudar nesse processo.

Cabe aqui uma observação: você encontrará links para sites de empresas em vários parágrafos. Na grande maioria dos casos, essas empresas são parceiras do Viajei Bonito. Mas a indicação vai muito além de mera publicidade. São serviços que utilizamos e aprovamos, por isso compartilhamos.

Como começar a planejar uma viagem

O planejamento da aposentadoria deve começar cedo

Planejar uma viagem pode exigir um pouco de “tecnologia”. Créditos: FirmBee / Fonte: Pixabay

Falando de uma forma muito pessoal, sempre que começamos a planejar uma viagem, já temos em mente um destino. Existem pessoas que caem na estrada sem um lugar certo para ir e, cá pra nós, isso é admirável. Entretanto escrevo aqui considerando que você tem em mente um lugar para onde quer ir, ou pelo menos uma ideia do tipo de viagem que quer fazer.

Como então decidir por um destino nacional ou internacional?

Destinos nacionais ou internacionais?

Planejar uma viagem dentro do Brasil é, sem dúvidas, muito mais fácil do que planejar uma viagem para outros países, especialmente em outros continentes. A documentação necessária para cruzar fronteiras, como passaporte e visto, além de vacinas e outros procedimentos necessários varia muito de país para país, logo, exige atenção redobrada.

Dessa forma, o planejamento inicial de sua viagem deve começar respondendo a algumas perguntas básicas: para onde vou…

  • … é necessário ter um passaporte?
  • … é necessário ter um visto?
  • … é necessário estar vacinado contra certas doenças (como a febre amarela)?
  • … preciso comprovar renda para não despertar suspeitas de que estarei indo para ficar?
  • … preciso de documentação especial para crianças e animais?
  • … preciso saber falar outras línguas?
  • … o inglês é suficiente?
  • … dá para chegar de carro ou precisarei ir de avião? (isso influenciará diretamente no orçamento da viagem)
  • … existem procedimentos de segurança que não são comuns no Brasil? (exemplo: rotas de fuga para tsunamis)
  • … existem atrações que me agradam? (praias, cachoeiras, parques nacionais, monumentos, etc)

Impossível listar todas as perguntas, mas tome essas como um ponto de partida. Repare ainda que a grande maioria delas só se aplica a destinos internacionais. Se você consegue responder a todas elas, ótimo! Se você consegue criar suas próprias perguntas e também souber as respostas, melhor ainda! De qualquer forma, você já deu um grande passo nessa etapa inicial do planejamento.

Agora que você tem um ou mais destinos escolhidos, o próximo passo é decidir: quando viajar?

Como escolher as datas

Ter flexibilidade na escolha das datas de uma viagem é ótimo para conseguir achar os melhores preços de passagens aéreas. Mas se não é o seu caso, sugiro que você considere voltar ao passo de escolha do destino e o faça juntamente com a escolha das datas. Por que? Existem lugares (e isso vale também para o Brasil) em que determinadas épocas do ano o turismo fica prejudicado, principalmente pelas condições climáticas.

Algumas perguntinhas que sugiro são: na época que eu pretendo viajar…

  • … chove muito por lá? (e isso vale também para monções, furacões, tempestades tropicais, etc, ou até mesmo períodos de seca)
  • … faz muito frio? (ou calor intenso?)
  • … as atrações que quero visitar fecham para manutenção? (isso acontece muito, fique ligado)
  • … meu destino se encontra em alta temporada? (isso influencia no orçamento)
  • … há festas tradicionais que quero conhecer?

A duração também é outro ponto importante ao se planejar uma viagem. Não há fórmula que consiga calcular com exatidão quantos dias uma viagem exige, até porque isso é muito subjetivo. Recomendo que nessa hora você considere os seguintes pontos:

  • Sou do tipo que gosta de conhecer tudo o que uma cidade oferece? Assim, grandes metrópoles podem exigir vários dias (ou semanas).
  • Meus destinos incluem atrações que ocupam meio dia, um dia inteiro ou mais de um dia? A escolha do roteiro deve ser feita com muito cuidado nesses casos.
  • As distâncias entre cada ponto de minha viagem exigem longos períodos de deslocamento?

Tudo nessa hora deve ser colocado no papel, preferencialmente com a quantidade de dias em cada lugar e, claro, o tempo gasto no deslocamento entre cada um dos pontos.

Em nossas viagens, acrescentamos sempre um dia para cada deslocamento, independente dele ser rápido ou não. Isso foi algo que aprendemos ao longo do tempo. Exemplo: por mais que um voo entre duas cidades possa levar algo em torno de duas horas, precisamos sair cedo para o aeroporto, enfrentar o trânsito e também os traslados até nossa acomodação. No fim das contas lá se foi meio dia ou um dia inteiro nesse processo, fora o cansaço que inviabiliza alguns passeios.

Como montar o roteiro

Montar o roteiro é um processo que exige várias iterações e minha dica aqui é que você priorize, basicamente, dois pontos: deslocamento e duração.

Deslocamento

Procure organizar atrações turísticas próximas para diminuir os deslocamentos. O Google Maps é um grande aliado aqui porque permite que você calcule (com boas estimativas) o tempo entre um ponto e outro.

Deslocamentos a pé quando possíveis são ótimos para conhecer atrações no caminho que estão fora de seu roteiro e que podem ser aquelas surpresas agradáveis da viagem. Há cidades em que é possível montar bons roteiros caminhando e outras que exigirão transporte público. Ambas têm suas vantagens, obviamente.

Duração da atração

Algumas atrações turísticas podem ser muito demoradas, pelo tempo que exigem, pelas filas ou pelos longos traslados. De nada adianta planejar cinco atrações para uma tarde se uma delas dura quatro horas, por exemplo.

Plataformas de vendas de tours online são ótimas para estimar durações de atrações. Em nosso blog recomendamos a GetYourGuide que mostra uma estimativa juntamente com cada tour. Mesmo que você não faça sua reserva, já dá pra ter uma boa ideia da quantidade de horas que você vai gastar em um museu, parque, etc.

Preparando o roteiro

A partir dos deslocamentos necessários entre cada atração turística que você pretende visitar e com a duração de cada uma, o próximo passo é encaixar essas atrações em cada dia da viagem. Vá somando as horas e adicione também uma margem de segurança entre elas para que nada fique muito corrido.

Os deslocamentos entre cidades e países também devem ser levados em conta e recomendo que você não separe muitas atrações para os dias em que precisar pegar ônibus, trens, aviões, etc, uma vez que eles são suscetíveis a atrasos e o próprio cansaço poderá inviabilizar alguns passeios.

Como planejar os gastos da viagem

Recebemos vários contatos de leitores que nos perguntam quanto custa viajar para seus destinos. Infelizmente essa é uma pergunta muito difícil de responder porque depende muito dos gostos, preferências e do roteiro, claro.

Enquanto algumas pessoas gostam de cozinhar no hostel, outras gostam de restaurantes sofisticados e isso impacta nos custos de alimentação. Ao mesmo tempo, um roteiro pode incluir grandes deslocamentos urbanos enquanto outros podem ser percorridos a pé e isso resultará em menores custos com transporte. A opção por dormitórios no centro da cidade poderá ser muito mais barata do que um hotel com vista para o mar, e assim por diante. Logo, reforço, não há como dizer com exatidão quanto reservar para uma viagem.

A boa notícia é que existem as médias, claro. Sempre será possível ter uma estimativa de gastos a partir de observações e cálculos com base nas contas de quem já viajou pelo mesmo destino que você. Nosso blog tem uma lista enorme de páginas voltadas para o cálculo de gastos em uma viagem: veja aqui.

Veja o que vale a pena colocar no papel a título de ponto de partida para definição de seu orçamento:

  • Alimentação: duas refeições por dia (almoço e jantar), café da manhã, um lanche ou café à tarde e uns dois litros d’água. A estimativa de custos com alimentação para uma cidade permitirá calcular o quanto por dia será gasto com alimentação.
  • Transporte: a partir do roteiro, considerar quatro viagens de ônibus, metrô, táxi, Uber, etc: um deslocamento de onde estiver hospedado, um deslocamento para o almoço, um deslocamento para as atrações da tarde e por fim um deslocamento de volta para o hotel. Se estiver de carro for alugado, calcule o valor das diárias e faça uma estimativa de quilometragem percorrida, dividindo por um valor de consumo bem genérico (10 km/litro) e multiplique pelo valor da gasolina ou etanol. Assim já é possível ter uma ideia (mesmo que não muito exata) desses custos.
  • Atrações: a internet deve ser muito bem explorada nessa hora para se obter os preços de entrada nas atrações que estão no roteiro. Alguns sites agregadores de atrações como a GetYourGuide podem ajudar.
  • Hospedagem: assim como as atrações, valores de hospedagem podem ser estimados com uma busca simples por cada cidade em sites como o Booking.
  • Passagens aéreas: os valores variam muito de acordo com a época e o intervalo de datas. O orçamento deste gasto pode caminhar junto com o passo de escolha das datas e de duração de sua viagem. Sites como o Passagens Promo e o Viajanet podem ajudar.
  • Seguro viagem: alguns países exigem que o viajante tenha uma apólice capaz de cobrir as despesas básicas hospitalares em casos de emergência. Sites como o Seguros Promo podem ajudar nesse cálculo.

Por fim, com essa estimativa em mãos, sugiro considerar 25% a mais por segurança.

Criar um cronograma pode ajudar

Além do roteiro e do orçamento, um outro passo sempre nos ajuda a planejar uma viagem: o cronograma.

Sabe aquele tipo de coisa que você não pode nem pensar em deixar para a última hora? Durante o planejamento, crie o hábito de anotar essas tarefas, mesmo que simples, e estipular uma data limite para cumpri-las.

Segue um exemplo de como esboçamos esse cronograma. Tudo começa com a listagem do que precisamos providenciar.

  • Tirar o passaporte – 6 meses antes da viagem;
  • Providenciar o visto – varia de país para país;
  • Sacar dinheiro em espécie e trocar todo o dinheiro – 5 dias antes;
  • Definir quem cuidará de nossos gatinhos – uma semana antes;
  • Pagar todas as contas de casa que vencerão enquanto estivermos fora – um dia antes;
  • Reservar hotéis – um mês antes;
  • Imprimir todos os vouchers; três dias antes;

Vale destacar que esse não é um processo que você faz de uma vez só. Durante o planejamento da viagem, novas tarefas podem surgir e daí é só ir anotando tudo.

Depois que a lista estiver pronta, anote num papel (ou bloco de notas, planilha eletrônica, etc) a data de ida da viagem. Para cada tarefa, calcule a data limite que ela precisa estar concluída e por fim crie alertas em uma agenda eletrônica (como o Google Calendar) para essas datas.

Acredite, esse cronograma vai ser de grande utilidade para evitar imprevistos.

Juntando isso tudo…

Uma outra dica que dou é que esse planejamento seja feito em um único documento, quando possível. Seja ele um arquivo do Word, planilha do Excel ou um documento do Google Docs, mantê-lo único, centralizando tudo que você já anotou e calculou é recomendável para manter o controle e gerenciá-lo.

A não ser que você prefira manter arquivos separados, um único arquivo dividido em páginas ou abas facilita até mesmo para que você compartilhe alterações com seus companheiros de viagem ou para aquele parente/amigo que te pede ajuda sobre os mesmos lugares meses depois.

Lembre-se que planejar uma viagem exige, acima de tudo, organização.

Até aqui você já decidiu para onde vai, quando vai, o que fará nos destinos, quanto gastará e já tem em mãos um cronograma. Chegou a hora de providenciar o necessário e o que é possível fazer pela internet antecipadamente à data da viagem.

Serviços, produtos e reservas pela internet para uma viagem

Montar o roteiro pode ser trabalhoso, mas divertido ao mesmo tempo

Reserve o máximo que puder pela internet, com antecedência. Créditos: Pexels / Fonte: Pixabay

As seções a seguir referem-se aos serviços que você provavelmente precisará contratar antes da viagem e são recomendações que fazemos de sites parceiros. Vale ressaltar que essas recomendações não têm apenas fins publicitários e são plataformas que realmente utilizamos.

Hospedagem

Recomendo que a reserva de hotéis, albergues, pousadas, etc, seja feita com antecedência de, pelo menos um mês. Caso esteja viajando na alta temporada, sugiro que faça com até 6 meses, de acordo com a popularidade do destino.

As vantagens de fazer as reservas com antecedência são:

  • Possibilidade de cancelamento gratuito ou mediante prejuízos menores;
  • Disponibilidade nos estabelecimentos com melhor custo benefício;
  • Mais tempo para planejar os deslocamentos internos nas cidades visitadas e mais clareza nos roteiros;
  • Mais tempo para planejar os traslados do aeroporto, rodoviária, estação de trem, etc;

Somado à essa lista está o fato de que alguns países podem exigir comprovantes de hospedagem ainda na imigração. Quanto mais claro ficar para o agente que sua viagem se trata unicamente de turismo, menores são as chances de você ser proibido de entrar no país.

O Viajei Bonito indica o Booking, que é a maior e mais completa plataforma para reservas de hotéis e outros tipos de acomodação pela internet. Nos artigos do blog, procuramos recomendar os estabelecimentos nos quais já ficamos e também o que se destacam com base nas avaliações dos usuários. Outros textos que podem ajudá-lo nessa etapa do planejamento de sua viagem estão aqui:

Em muitas de nossas viagens utilizamos também o Airbnb. Nessa plataforma, alugamos quartos em casas de moradores que podem ter preços mais acessíveis e nos permite ter uma experiência mais próxima com os locais. Utilizando este link você garante um desconto na primeira reserva!

Passagens aéreas

Não há como negar que as passagens aéreas representam o maior gasto em uma viagem na maioria das vezes. Planejar uma viagem sem ter ao menos a noção de quanto custam as passagens para o(s) destino(s) do roteiro pode ser muito arriscado.

Felizmente, há muitos sites que auxiliam nesse processo e que merecem ser acompanhados. Com eles você consegue ter uma noção de preços que já facilita na montagem do orçamento. Mas o que mais ajuda nessa hora são os alertas. Através de seu email, esses sites enviam comunicados sempre que as passagens estão com preços abaixo da média ou até mesmo em promoção.

Nós indicamos dois sites que fazem (e muito bem) isso tudo que falei acima: o Passagens Promo e o Viajanet. Além disso, temos também páginas aqui no blog que fazem o rastreamento em tempo real de preços e que podem ser favoritadas em seu navegador para consultas periódicas.

Ao comprar passagens aéreas, sugerimos que você não vá pela que tem o menor preço sem uma análise dos itinerários. Em alguns casos, uma pequena diferença no valor final pode fazer com que você tenha que esperar por horas em conexões ou desembarque em horários onde o custo do traslado é maior.

Assim, na hora da busca pelas passagens ao planejar uma viagem, preste atenção nos seguintes pontos:

  • Data de ida e data da volta – alterando ambas as datas para mais ou para menos resulta em preços mais em conta?
  • O voo tem conexões longas?
  • O voo tem conexões em países que exigem visto de trânsito? Os Estados Unidos, por exemplo, até o momento em que escrevo este artigo, exigem e isso pode encarecer sua viagem;
  • Poderei pedir um Uber ou táxi na hora em que desembarcar sem ter que pagar a mais por conta do trânsito ou por bandeiras diferenciadas?

Por fim, tenha em mente que as companhias aéreas são muito agressivas em termos de cobranças e reembolsos quando você solicita alteração das datas de ida e volta ou cancelamento, respectivamente. Escolha com calma e só faça o pagamento quando tiver certeza absoluta de que o período escolhido é exatamente o que você quer.

Passagens de trem

Ao planejar uma viagem pela Europa, é quase certo que você ficará entre avião e trem para se deslocar entre duas cidades, uma vez que ambos os serviços são muito em conta e, claro, velozes! Quando precisamos optar por um ou outro levantamos as seguintes questões:

  • O tempo total do percurso por trem é menor que o tempo da viagem de avião somado aos horários de espera e antecedência dos aeroportos?
  • As paisagens que veremos de trem justificam uma viagem mais demorada? Se estiver viajando à noite, por exemplo, ir de avião é mais vantajoso.
  • Os preços são parecidos? Saiba que alguns trajetos aéreos operados por companhias low costs podem sair muito mais em conta do que indo de trem.
  • As taxas de cancelamento ou de alteração de datas são menores do que as de avião (e vice-versa)?

No Viajei Bonito nós recomendamos a plataforma da GoEuro que fornece uma interface muito semelhante aos buscadores de passagens aéreas. Nela você poderá comprar passagens de trem com antecedência, mesmo ainda estando no Brasil. Temos também alguns artigos que explicam passo-a-passo como utilizá-la:

Aluguel de carro

Somos grandes adeptos de aluguel de carro e deixamos isso muito claro em vários artigos que já postamos aqui. Para nós não há nada melhor do que a liberdade de montar nossos roteiros sem depender de horários de ônibus, trens e linhas aéreas.

Em geral, o custo da diária de um carro e do combustível podem afetar e muito o valor do orçamento de sua viagem. Porém, é complexo determinar exatamente o quanto se gasta de transporte somando passagens de ônibus, trem, transporte público, táxis, Uber, etc. Para isso você precisaria ter um roteiro muito bem fechado para calcular esses deslocamentos.

Viajando pela Europa eu não pensaria em aluguel de carro por conta da proximidade entre as cidades e também pelo alto grau de desenvolvimento do transporte público (metrô, ônibus e bonde ou trams como eles chamam). Devido também aos centros históricos e por dar preferência a hospedagens em hostels localizados nas partes mais movimentadas das cidades, estacionar esse veículo seria uma preocupação a mais.

Entretanto, eu não faria uma viagem pelos Estados Unidos sem carro próprio, visto que os deslocamentos (urbanos e rurais) são maiores e com menor disponibilidade de transporte público.

Isto é, ao se planejar uma viagem e trazer o aluguel de carro como alternativa, é necessário considerar essas questões de logística e analisar os pontos positivos e negativos.

Diversos sites agregam preços de aluguel de carro e o Viajei Bonito recomenda a Rentcars. Já escrevemos sobre como usar a plataforma e você pode conferir nossas revisões nos artigos abaixo:

Seguro-viagem

Por mais que ele não seja obrigatório para toda viagem internacional, o seguro viagem é um item que deve ser considerado ao planejar uma viagem dentro ou fora do Brasil. São muitas as razões e saiba que as coberturas não se restringem a despesas hospitalares.

A empresa que faz a ponte entre os viajantes e as prestadoras desse tipo de serviço que recomendamos aqui no blog é a Seguros Promo. Temos vários artigos sobre o assunto e que têm como objetivo sanar desde as dúvidas mais simples até as mais complexas e que você pode conferir nos links abaixo:

Assista ao vídeo

Nós estamos sempre antenados às promoções de seguro viagem que a Seguros Promo divulga e nossos artigos são atualizados sempre que grandes descontos estão disponíveis. Mesmo que nenhuma promoção esteja vigente agora, você pode utilizar o nosso cupom de desconto:

VIAJEIBONITO5

Se liga que tá rolando promoção! Nosso cupom dá 5% de desconto, mas se a sua viagem for de 18/12/18 até 04/02/19 você pode usar o cupom FERIAS para garantir 10% de desconto em sua apólice! Aproveite esse descontão porque ele é por tempo limitado!

Chip de internet e voz para celular

Em nossas primeiras viagens para o exterior, costumávamos comprar o chip de internet assim que chegávamos ao aeroporto da cidade de destino. É interessante desembarcar com seu celular conectado à internet para que você possa pedir um táxi, Uber, etc, e também para acompanhar a rota usando o GPS. O problema de deixar para comprar o chip no desembarque, é que você estará refém dos preços e dos horários de funcionamento das lojas. Fora o fato de que nem todo aeroporto possui estabelecimentos que o vendem.

Já em nossa viagem pela Patagônia, no segundo semestre de 2017, experimentamos o chip da Easysim4u e gostamos muito. Foi prático fazer a contratação do plano de dados durante o planejamento da viagem, além de poder testá-lo antes mesmo de chegarmos a Buenos Aires (primeira conexão da viagem), sem a necessidade de rodar o aeroporto inteiro em busca de um. Durante a viagem, foram raras as ocasiões onde ficamos sem internet, e quando isso acontecia era por conta dos lugares remotos que visitamos, mas nesses lugares celular nenhum pegaria sinal. Se você quer saber mais a respeito de chips de internet e voz para celular no exterior, clique no botão abaixo.

Ver planos da Easysim4u

Tabela de pacotes, preços e coberturas da Easysim4u

Abaixo você confere uma lista dos chips de internet, dados e voz da Easysim4u, juntamente com os países em que eles têm cobertura. Atualizamos essa tabela constantemente com os dados disponibilizados no site deles, mas recomendamos que você confirme os países de cobertura no momento da compra.

Produto

4G Europa

Alemanha, Áustria, Bélgica, Bulgária, Chipre, Croácia, Dinamarca, Eslováquia, Eslovênia, Espanha, Estônia, Finlândia, França, Gibraltar, Grécia, Guadalupe, Guiana Francesa, Holanda, Hungria, Irlanda, Islândia, Itália, Letônia, Liechtenstein, Lituânia, Luxemburgo, Malta, Martinica, Mayotte, Noruega, Polônia, Portugal, Reino Unido, República Tcheca, Reunião, Romênia, São Martinho e Suécia

$60,00

R$232,61

Produto

Dados Mundi

Afeganistão, África do Sul, Albânia, Alemanha, Andorra, Angola, Anguilla, Antígua e Barbuda, Antilhas Neerlandesas, Arábia Saudita, Argélia, Argentina, Arménia, Aruba, Austrália, Áustria, Azerbaijão, Bahamas, Bahrein, Bangladesh, Barbados, Bélgica, Belize, Benim, Bermudas, Bielorrússia, Bolívia, Bósnia e Herzegovina, Bulgária, Burkina Faso, Burundi, Cabo Verde, Camarões, Camboja, Canadá, Catar, Cazaquistão, Chade, Chile, China, Chipre, Colômbia, Coreia do Sul, Costa do Marfim, Costa Rica, Croácia, Curação, Dinamarca, Dominica, Egito, El Salvador, Emirados Árabes Unidos, Equador, Eslováquia, Eslovênia, Espanha, Estônia, Fiji, Filipinas, Finlândia, França, Gabão, Gâmbia, Gana, Geórgia, Gibraltar, Granada, Grécia, Groelândia, Guadalupe, Guam, Guatemala, Guernsey, Guiana, Guiana Francesa, Guiné, Guiné-Bissau, Haiti, Holanda, Honduras, Hong Kong, Hungria, Ilha de Man, Ilha de São Martinho, Ilhas Cayman, Ilhas Feroe, Ilhas Turcas e Caicos, Ilhas Virgens Britânicas, Índia, Indonésia, Iraque, Irlanda, Islândia, Israel, Itália, Jamaica, Japão, Jordânia, Kosovo, Kuwait, Laos, Letônia, Liechtenstein, Lituânia, Luxemburgo, Macau, Madagáscar, Malásia, Malawi, Maldivas, Mali, Malta, Marianas Setentrionais, Marrocos, Martinica, Maurícia, Mauritânia, Mayotte, México, Moçambique, Moldávia, Mónaco, Mongólia, Montenegro, Montserrat, Myanmar, Nicarágua, Níger, Nigéria, Noruega, Nova Zelândia, Omã, Palestina, Panamá, Papua Nova Guiné, Paquistão, Paraguai, Peru, Polinésia Francesa, Polônia, Portugal, Quénia, Quirguistão, Reino Unido, República da Macedônia, República Democrática do Congo, República Dominicana, República Tcheca, Reunião, Romênia, Ruanda, Rússia, Saara Ocidental, Samoa, Santa Lúcia, São Bartolomeu, São Cristóvão e Nevis, São Marinho, São Martinho, São Vicente e Granadinas, Seicheles, Senegal, Serra Leoa, Sérvia, Singapura, Sri Lanka, Suécia, Suíça, Suriname, Tailândia, Taiwan, Tajiquistão, Tanzânia, Togo, Tonga, Trinidad e Tobago, Tunísia, Turquia, Ucrânia, Uganda, Uruguai, Uzbequistão, Venezuela, Vietnã, Zâmbia e Zimbabwe

$52,00

R$201,59

Produto

Dados North

Canadá, Estados Unidos e México

$37,00

R$143,44

Produto

Voz e Dados EUA

Estados Unidos

$47,00

R$182,21

Câmbio de moeda

Um outro assunto pertinente a qualquer planejamento de viagem é a troca de moedas. Qual moeda levar; quanto devo levar; onde devo trocar… são questões que você pode ter em mente ao sair do Brasil.

Quando me encontro nesta etapa do planejamento, procuro seguir um roteiro que funciona muito bem para as viagens que fazemos pelo blog (mas lembre-se que isso é muito subjetivo… pode ou não servir para você também):

  • Após a definição do orçamento da viagem, separo algo em torno de 25% do valor calculado para ser sacado e levado em espécie;
  • Quando o país é muito seguro, subo esse percentual para 40%;
  • Desse montante, troco apenas ¼ aqui no Brasil para tê-lo como emergência na chegada;
  • Os outros ¾ vou trocando em casas de câmbio no exterior, especialmente se mais de um país está incluído no roteiro – assim evito ter que trocar e “destrocar” para outras moedas, pagando taxas acumuladas;
  • O montante que não foi sacado no Brasil levo em um cartão de débito em dólar ou euro (geralmente feito em casas de câmbio). Mesmo incidindo IOF, a conversão é feita na hora em que eu compro a moeda. Se o real desvalorizar da noite pro dia perante essas moedas enquanto estou viajando, não corro riscos de pagar uma fortuna na fatura do cartão de crédito;
  • Ainda nesse montante que não foi sacado, reservo 20% em minha conta do banco e deixo para usar no próprio cartão de crédito, apenas para fins de emergência.
  • Ao viajar, dou sempre preferência ao cartão de débito, usando o dinheiro em espécie apenas quando o estabelecimento não aceita. Dessa forma costumo levar reais para o exterior e voltar com eles, sem que seja necessário trocar em casas de câmbio muito menos arcar com taxas de conversão ou IOF.

Algumas cidades do Brasil possuem serviços delivery de troca de moeda, garantindo mais segurança, já que você não precisará andar com esse dinheiro na rua, e, claro, comodidade. O Viajei Bonito recomenda dois serviços da mesma empresa, a BeeCâmbio, que você pode usar para trocar moeda para viajar e a Remessa Online caso precise enviar dinheiro para o exterior. Veja o que já escrevemos sobre essas plataformas, além de artigos úteis sobre dinheiro em viagens:

Excursões, traslados, atrações e tours

Nos parágrafos anteriores comentei a respeito da montagem do roteiro e como ele é importante ao se planejar uma viagem. Tão importante quanto ter no papel pelo menos um rascunho do que se quer ver nos destinos, é saber quanto custam essas atrações. Ainda, é necessário saber se elas estarão disponíveis e se encaixam no tempo que se tem de viagem.

Algumas perguntas devem ser levadas em conta na escolha de cada atração:

  • Onde ela fica?
  • Qual é a duração (ou quanto tempo pretendo ficar nela)?
  • De quanto tempo preciso para chegar até ela a partir da atração anterior?
  • O que preciso levar?
  • O que não posso levar?
  • Essa atração cabe no planejamento do meu dia?
  • Quanto custa?
  • É obrigatória a contratação de um guia?
  • É necessário agendar ou colocar o nome em uma lista de espera para ter acesso a essa atração?

A partir daí, com a lista de coisas a se fazer onde quer que você esteja, é possível planejar minuciosamente cada visita e, em alguns casos, reservar o ticket pela internet. É claro que você não precisará cumprir esse roteiro como se fosse um robô seguindo um algoritmo. Afinal de contas, viajar significa estar aberto a conhecer coisas que você jamais pensaria que fosse conhecer.

A sugestão aqui é que você tenha uma lista do que fazer mas que tenha margem para incluir outras atrações, ou até mesmo flexibilidade para excluir atrações que se tornem inviáveis durante o período da viagem.

Um outro ponto importante são os traslados. Caso você não esteja com um carro próprio, será necessário planejar bem os deslocamentos maiores, que são os trajetos do aeroporto, rodoviária, estação, etc, até o local onde você estará hospedado ou até a entrada de cada uma dessas atrações. Alguns passeios já incluem traslados, outros não, e para esse tipo de informação, quanto maior for a antecedência, menos imprevistos você terá.

Bom planejamento!

Todas as dicas dadas acima foram escritas com base na forma como planejamos as viagens que fazemos pelo Viajei Bonito. Seguir esses passos como receita de bolo poderá não ser muito produtivo para você, por isso é importante que faça adaptações nos pontos que não combinam com seu estilo de planejamento.

O mais importante de tudo é que você se divirta nesse processo todo.

Por mais que soe contraditório, lembre-se sempre de não planejar tudo! O planejamento serve como bússola e estrutura para que possa aproveitar a viagem sem preocupações em excesso. Deixe espaço para surpresas e, principalmente, esteja aberto a elas. Viajar é estar em contato com outras culturas, outras pessoas e outras formas de se pensar. Felizmente, não é possível planejar como esses grandes choques de diferença vão reagir em você!

Mas e você? Como faz para planejar uma viagem? Não se esqueça de compartilhar nos comentários abaixo suas ideias, críticas e o que vier em sua cabeça!

Bom planejamento e boa viagem!