São João del Rei, MG: o que fazer, como chegar e onde ficar

Ofuscada pela vizinha Tiradentes, São João del Rei é uma das cidades históricas de Minas Gerais que fazem parte do Caminho Velho da Estrada Real e preservam memórias do período colonial através de igrejas, casarões e monumentos centenários. Poucos conhecem a importância do município que durante um curto período foi a capital do estado quando ele ainda era um província.

São João del Rei também é conhecida como “a terra onde os sinos falam”, já que as badaladas transmitem mensagens que os são-joanenses conhecem bem. São mais de 40 toques diferentes, seja para marcar as horas, chamar para a missa ou evento religioso, comunicar o falecimento de alguém ou até mesmo para convocar a população para orar pelo fim da pandemia causada pelo coronavírus.

Para além dos lugares históricos e das tradições que atravessam séculos, a cidade também possui paisagens naturais apaixonantes, com cachoeiras, riachos e cavernas em meio a resquícios de Mata Atlântica. Em um fim de semana prolongado é possível visitar tudo isso! 

Neste post você descobrirá o que fazer em São João del Rei, quais pontos turísticos não podem ficar de fora do roteiro, como chegar à cidade histórica, onde se hospedar e mais algumas dicas práticas para fazer valer cada segundo da viagem. 

Boa leitura!

Como chegar a São João del Rei

Existem quatro formas de se chegar a São João del Rei. São elas:

Ônibus

A Viação Sandra faz o percurso entre Belo Horizonte e São João del Rei. Para quem sai do Rio de Janeiro, a viagem de 5 horas e meia é feita com a Paraibuna. Já para quem parte de São Paulo, a Unica é a empresa que faz o deslocamento que pode durar até 9 horas. Consulte horários de saída e outras rotas no site ClickBus.

Carro

Se o seu roteiro engloba outras cidades além de São João del Rei, a melhor opção é viajar de carro. Nós, que não temos veículo próprio, sempre alugamos com a Rentcars.

💡 Viajar de carro é sempre uma boa ideia

Se o seu objetivo for visitar várias cidades mineiras, alugar um carro é a melhor saída. Com ele você terá autonomia para criar o próprio roteiro e visitar lugares afastados, que não são cobertos pelo transporte público. Nós usamos e recomendams os serviços da Rentcars, uma ferramenta que compara preços entre as principais locadoras do país e divide o valor final em até 12 vezes.Reserve grátis agora

Aplicativo

O serviço da Uber ainda não está disponível em São João del Rei, mas existem três aplicativos com a mesma finalidade: MoveSJ, Uaiber e Pop Mobilidade. Além do transporte dentro da cidade, os motoristas também fazem o trajeto entre São João e Tiradentes.

Maria Fumaça

Para quem sai de Tiradentes, a melhor forma de percorrer os 12 km que separam as duas cidades é a bordo da Maria Fumaça mais antiga do Brasil, a única do mundo que ainda circula em bitola de 76 cm. Sente-se do lado direito do vagão para ver a beleza da Serra de São José e garantir as fotos mais bonitas.

Os horários mudam constantemente, portanto, informe-se às vésperas do embarque, que acontece às sextas, sábados e domingos.

Preço: R$ 80 ida e volta ou R$ 70 apenas um trecho. Gratuito para crianças de até 5 anos de idade. Crianças entre 6 e 12 anos têm direito a meia-entrada, assim como pessoas com mais de 60 anos e estudantes com documentação escolar e carteira de identidade em mãos.

Onde ficar em São João del Rei

O Centro Histórico de São João del Rei é pequeno e pode ser percorrido a pé com facilidade. Ficando nessa região você não precisará de carro ou transporte público. Eu me hospedei na Galeria Adro e foi uma experiência extraordinária (sobre a qual falarei mais adiante), mas existem outras opções:

Use o nosso cupom de desconto do Airbnb para economizar até R$ 179 na sua primeira reserva.

Airbnb
giseler55
Cupom que dá direito a até R$200 para sua primeira viagem Ver todos os cupons Enviar por e-mail

Como utilizar este cupom
  1. Acesse o convite clicando aqui
  2. Cadastre-se na plataforma a partir do link
  3. Siga as instruções e restrições do convite presentes na página do Airbnb

Informe abaixo seu e-mail para receber este cupom em sua caixa postal. Ele não será armazenado, nem utilizado para enviar campanhas de marketing.

O que fazer em São João del Rei: principais pontos turísticos

Este roteiro de dois dias é perfeito para quem procura o que fazer em São João del Rei durante um fim de semana. Ele contempla os principais pontos turísticos da cidade e pode ser feito a pé, desde que você esteja hospedado no Centro Histórico. 

Listei as atrações na mesma ordem que fiz o meu itinerário, mas é importante que você esteja atento aos horários de funcionamento para montar o seu próprio roteiro. Se você tiver mais um dia na cidade, recomendo que visite também os atrativos naturais, mas para isso é necessário estar com veículo próprio ou fechar com um motorista local, já que o transporte urbano não chega a esses lugares.

Basílica de Nossa Senhora do Pilar

Basílica de Nossa Senhora do Pilar, São João del Rei, Minas Gerais
Basílica de Nossa Senhora do Pilar, São João del Rei, Minas Gerais. Créditos: Hugo Martins Oliveira / Fonte: Shutterstock

Nosso roteiro pelo Centro Histórico de São João del Rei começa na magnífica Basílica de Nossa Senhora do Pilar, dedicada à padroeira da cidade. Na entrada, alguns guias ficam disponíveis para dar explicações e contar curiosidades sobre a construção, mas o preço deve ser negociado antes para evitar surpresas desagradáveis.

Se estiver sem tempo e sem grana, observe por si mesmo as pinturas barrocas e o rico ornamento com folhas de ouro. Observando atentamente, você verá que imagens são enfeitadas com pedras preciosas. Pela sua importância e riqueza, a Catedral foi tombada pelo IPHAN, que garante a sua preservação.

Horário de funcionamento: das 6h às 11h e das 13h30 às 20h.
Preço: contribuição voluntária.

Museu de Arte Sacra

Seguindo a temática religiosa, ainda na mesma rua encontra-se o Museu de Arte Sacra, que reúne em seu interior aproximadamente 450 peças, muitas delas vindas de doações de colecionadores, moradores locais e membros da igreja.

O acervo conta com imagens sacras, pratarias, mobílias e vestes. Há obras com quase 300 anos de existência! Atente-se ao fato de que não é permitido tirar fotos dentro do museu.

Horário de funcionamento: de segunda a sexta, das 12 às 17h. Sábado, das 9h às 13h.Preço: R$ 5

Igreja de Nossa Senhora do Rosário

Cada igreja de São João del Rei tem a sua importância histórica. A de Nossa Senhora do Rosário, por exemplo, é a construção religiosa mais antiga da cidade e foi fundada por escravos, que na época eram impedidos de frequentar as mesmas igrejas que seus senhores. 

Na construção original havia apenas uma torre, uma característica das igrejas construídas por e para os pretos. No entanto, após uma reforma feita em 1936, tiraram a torre que estava prestes a ruir e construíram duas nas laterais. A decoração interior é simples, sem pinturas no teto, mas com lindos altares em estilo rococó.  

Horário de funcionamento: de terça a domingo, das 8h às 11h30.
Preço: entrada gratuita. 

Solar dos Neves

Solar dos Neves, casa de Tancredo Neves em São João del Rei, Minas Gerais
Solar dos Neves, casa de Tancredo Neves em São João del Rei, Minas Gerais. Créditos: Gisele Rocha

Ao lado da igreja encontra-se uma casa de dois andares pertencente à família Neves, cujo membro mais ilustre é Tancredo Neves, primeiro presidente eleito após a ditadura militar que morreu antes de tomar posse. O político também em um memorial em sua homenagem na cidade, que inclui no segundo dia do roteiro.

O Solar dos Neves não está aberto ao público, mas merece alguns minutos de contemplação. A fachada mantém as características originais do século 19 e é embelezada com flores.

Rua das Casas Tortas

Rua das Casas Tortas em São João del Rei, Minas Gerais
Rua das Casas Tortas em São João del Rei, Minas Gerais. Créditos: Gisele Rocha

A Rua das Casas Tortas é um lugar que muitos deixam de fora da lista com o que fazer em São João del Rei, mas merece ser visitada pelas suas singularidades. Primeiramente, como o nome sugere, suas casas têm a base inclinada e foram feitas assim para se adaptarem ao terreno. Caminhando até o fim dela você chegará à Capela de Santo Antônio, que é uma graça, mas raramente está aberta.

Outra curiosidade que ouvi de um guia é que o calçamento leva o nome de “pé de moleque” porque os filhos dos escravos eram incumbidos de colocar as pedras e prensá-las com o peso do corpo. Nesse momento me bateu uma crise de consciência por estar visitando lugares construídos com mão-de-obra escrava e por estar caminhando sobre um pavimento feito à base de exploração infantil. 

Capela do Divino Espírito Santo

A história dessa capela é muito interessante, porque ela foi construída no século 18 na cidade de São Vicente de Minas, a 90 km de São João del Rei e foi reinaugurada na cidade em maio de 2012.

Acontece que desde a década de 1980 ela sofreu com abandono, vandalismo e roubos. Imagens, pratarias, mobiliários, ornamentos e até a porta do sacrário foram saqueados, uma situação que comoveu o então pároco da Catedral de Nossa Senhora do Pilar, que por sua vez contou a história ao bispo, que se movimentaram para resgatar o pouco que havia sobrado e reconstruir a capela em São João. 

Depois de mais de 30 anos de entraves, a capela foi reaberta com fragmentos do altar-mor e de dois retábulos laterais, tábuas pintadas do forro, partes do púlpito e arco-cruzeiro originais. O que não coube nesse espaço foi levado para o Museu de Arte Sacra.

Pelourinho

A caminho da próxima igreja passei por acaso pelo Pelourinho, que posteriormente descobri que é um dos poucos que continuam intactos em Minas Gerais. Vejo muitos turistas posando para fotos (não só em São João del Rei, mas em outras cidades onde o “monumento” ainda existe) sem saber que esse era o lugar utilizado para castigar e humilhar os escravos. Não merece a nossa apreciação.

Em muitas cidades brasileiras os pelourinhos foram destruídos por ex-escravos após a publicação da Lei Áurea, e embora eu seja a favor da demolição de todos os pelourinhos, entendo o argumento de quem diz que eles devem ser preservados para nos lembrar da perversidade com que os negros eram tratados naquela época e que seus descendentes até hoje são vítimas de racismo e segregação. 

Igreja Nossa Senhora das Mercês

O que eu mais gostei na Igreja Nossa Senhora das Mercês é a vista que ela proporciona. Por estar em uma parte mais alta da cidade, é possível ver boa parte do Centro Histórico.

É interessante observar que diferente das demais igrejas, nesta a torre do sino não faz parte da fachada principal e está afastada da construção principal. No interior predominam as cores branco e dourado e todo o conjunto foi restaurado recentemente.

Horário de funcionamento: de segunda a sexta, das 8h às 12h e das 13h30 às 17h. Sábados e domingos das 8h às 12h. Missa aos domingos às 10h.

Preço: entrada gratuita.

Igreja de Nossa Senhora do Carmo

Passando pelo Largo da Cruz, chegamos à Igreja de Nossa Senhora do Carmo, mais um lindo exemplar do estilo rococó, com torres octogonais e esculturas feitas em pedra sabão (que infelizmente foram parcialmente destruídas por um sem noção que escalou o pórtico da igreja).

A igreja também abriga o Museu dos Sinos, criado com o objetivo de preservar e difundir a tradição sineira, que inclusive foi tombada como patrimônio imaterial da cidade. Além dos 12 sinos de bronze que compõem o acervo, uma linha do tempo apresenta a origem do toque dos sinos como meio de comunicação e a mostra importância dos sineiros, profissionais que são muito respeitados na cidade.

Horário de funcionamento: todos os dias, das 6h às 12h e das 13h às 19h. Missas  de segunda a sábado, às 6h30 e 17h30 e aos domingos às 8h, 9h30 e 18h.
Preço: R$ 4 

Centro Cultural da UFSJ (Solar da Baronesa)

O Solar da Baronesa atualmente abriga o Centro Cultural da UFSJ
O Solar da Baronesa atualmente abriga o Centro Cultural da UFSJ. Créditos: Gisele Rocha

Em 1995 a Universidade Federal de São João del Rei adquiriu uma construção do século 19 conhecida como Solar da Baronesa de Itaverava. Um lindo sobrado em estilo neoclássico, totalmente restaurado e adaptado para se transformar em um espaço que promove a arte e a cultura. 

A programação muda constantemente, sempre com ótimas exposições, concertos, apresentações de teatro e de dança, rodas de conversa, palestras, oficinas, shows, filmes, etc. Acompanhe a agenda na Fanpage do Centro Cultural.

Horário de funcionamento: todos os dias, das 8h às 20h.
Preço: entrada gratuita

Museu Regional de São João del Rei

Se tem um museu que não pode ficar de fora da sua lista com o que fazer em São João del Rei, é o Museu Regional. O acervo é composto por aproximadamente 500 objetos e mais de 50 mil documentos reunido entre 1956 e 1963 com a finalidade de retratar o cotidiano do povo mineiro nos séculos 18 e 19. São móveis, utensílios domésticos, obras de arte, objetos sacros, máquinas, entre tantas outras coisas curiosas que você nunca viu de perto. 

Enquanto o museu passa por reforma, você pode conhecer o acervo online através do site oficial da instituição.  

Horário de funcionamento: de terça a sexta-feira, das 10h30 às 17h30. Sábados e domingos, das 13h30 às 17h30.
Preço: entrada gratuita

Adro Galeria

Adro Galeria, São João del Rei
Adro Galeria, São João del Rei. Créditos: Gisele Rocha

Terminei o roteiro do primeiro dia na Adro Galeria, que é justamente onde eu estava hospedada. A Adro fica em um casarão deslumbrante no coração do Centro Histórico de São João del Rei e um dos quartos virou acomodação. Isso não tira a privacidade do hóspede, porque o quarto tem acesso restrito, paredes grossas e janela voltada para o jardim interno. A casa também tem sistema de segurança, com trancas e alarme.

Quanto à galeria, ela foi criada a partir da iniciativa de um grupo de artistas que queriam um espaço mais jovem e acessível, onde pudessem divulgar a arte e debatê-la sem formalidades. As obras são lindas, incluem pinturas, fotografias, colagens, bordados e cerâmicas. Ocasionalmente são ministrados cursos de curta duração. Confira no site da Adro.

Horário de funcionamento: de quarta a sábado, das 13h às 19h.
Preço: entrada gratuita.

📸 Antes de continuar a leitura, que tal ver as fotos dessa viagem no nosso Instagram?

Ponte do Rosário

As pontes fazem parte do cenário de São João del Rei e guardam muitas histórias. A Ponte do Rosário, por exemplo, foi construída em 1800 com pedra, junta de picão miúdo e cal. No meio do monumento há uma cruz, que já era planejada no projeto original, mas foi substituída três vezes ao longo da história. Vale a pena parar por alguns instantes e observar os detalhes.

Fundação Presidente Tancredo Neves

Memorial Tancredo Neves, São João del Rei
Memorial Tancredo Neves, São João del Rei. Créditos: Wagner Campelo / Fonte: Shutterstock

Bem em frente à ponte encontra-se o Memorial Tancredo Neves, dedicado ao primeiro presidente eleito por voto direto após os 21 anos de chumbo da ditadura militar, mas morreu antes de tomar posse, levantando uma série de teorias conspiratórias.

Em 1990, cinco anos após o seu falecimento, a fundação foi criada para preservar a história e o legado político de Tancredo e São João del Rei foi o local escolhido por ser a cidade onde ele nasceu. São nove salas com documentos, reportagens, fotografias, manuscritos e objetos pessoais. Do lado de fora do casarão encontra-se uma estátua do político sentado em banco, como quem observa o movimento da rua.

Horário de funcionamento: de segunda a sexta, das 13h às 17h. Sábados, domingos e feriados, das 9h às 17h.
Preço: entrada gratuita.

Igreja de São Francisco de Assis

Inaugurada em 1774, a Igreja de São Francisco de Assis é hoje um dos principais pontos turísticos de São João del Rei e o mais famoso cartão postal da cidade. O projeto original é atribuído a Aleijadinho, com execução de Francisco de Lima Cerqueira. A fachada é deslumbrante, com duas torres circulares e brasões na entrada dianteira.

Uma praça repleta de palmeiras imperiais direciona o nosso olhar para a igreja. Como de costume nas igrejas barrocas, há um cemitério ao fundo. Nele foram sepultados Tancredo Neves e sua esposa, Risoleta Neves.

Horário de funcionamento: de segunda a sábado, das 8h às 17h30. Domingo até às 14h30, com missa às 9h15.
Preço: R$ 2 – R$ 1 para estudantes e idosos.

Casa Bárbara Heliodora

Bárbara Heliodora foi uma mulher à frente do seu tempo. Letrada durante uma época em que muitas mulheres eram proibidas a estudar, ela foi a primeira poetisa brasileira. Além disso, foi ativista política e participou efetivamente da Inconfidência Mineira junto ao seu marido, Alvarenga Peixoto, que acabou preso e exilado na Angola, onde veio a falecer longe da esposa e dos filhos, já que esses permaneceram no Brasil. 

O sobrado em estilo colonial onde Bárbara viveu atualmente funciona como sede da Secretaria Municipal de Turismo e do Museu Tomé Portes Del Rei.

Horário de funcionamento: de segunda a sexta-feira das 9h às 17h.
Preço: entrada gratuita.

Ponte da Cadeia

Ponte da Cadeia, um dos monumentos históricos de São João del Rei, em Minas Gerais
Ponte da Cadeia, um dos monumentos históricos de São João del Rei, em Minas Gerais. Créditos: Gisele Rocha

A Ponte da Cadeia é muito parecida com a Ponte do Rosário, mas foi construída dois anos antes e foi a primeira ponte de pedra da cidade. Ganhou esse nome porque conduzia à antiga cadeia da cidade, onde hoje funciona a Prefeitura Municipal. O complexo arquitetônico é lindo de se ver! Pare e contemple!

Museu da FEB

O Museu da Força Expedicionária Brasileira (FEB) expõe um acervo composto por documentos, bandeiras, uniformes e armas usados pelos soldados do 11º Regimento de Infantaria de São João Del Rei na Segunda Guerra Mundial. Não é o tipo de programação que me atrai, então passei direto.

Horário de funcionamento: de segunda a sexta, das 8h às 17h. Aos sábados, das 8h ao meio-dia.
Preço: entrada gratuita.

Chafariz da Legalidade

Chafariz da Legalidade, um dos pontos turísticos de São João del Rei
Chafariz da Legalidade, um dos pontos turísticos de São João del Rei. Créditos: Gisele Rocha

Segui o meu roteiro por São João del Rei passando pelo Chafariz da Legalidade, de onde curiosamente nunca saiu uma gota d’água. Ele recebeu esse nome porque durante a Revolta da Fumaça a Vila de São João del-Rei havia sido consagrada capital de Minas Gerais, status que manteve por pouco mais de um mês.

Igreja de São Gonçalo Garcia

Do lado do Chafariz existe uma escadaria que leva à Igreja de São Gonçalo Garcia. Foi construída no início do século passado, seguindo o estilo Neoclássico, bem diferente das outras igrejas do Centro Histórico de São João del Rei.

Horário de funcionamento: de segunda a sexta, das 7 às 17 horas. Sábado e domingo, das 7 às 11 horas. Missas somente aos domingos, às 9h30.
Preço: entrada gratuita

Capela Nossa Senhora das Dores

Capela de Nossa Senhora das Dores, a única em estilo neogótico em São João del Rei
Capela de Nossa Senhora das Dores, a única em estilo neogótico em São João del Rei. Créditos: Gisele Rocha

Caminhando mais alguns metros chegamos à terceira e última igreja do dia. A Capela Nossa Senhora das Dores, que na minha opinião é uma das mais bonitas da cidade, embora infelizmente só a tenha visto por fora. Isso porque ela não está aberta à visitação, apenas para missas e no único horário disponível estava caindo uma chuva torrencial.

Para os amantes de arquitetura, além da bela capela em estilo Neogótico, também vale a pena conferir a fachada da Santa Casa de Misericórdia e do Colégio Nossa Senhora das Dores, ao lado e em frente à igreja, respectivamente.  

Horário de funcionamento: as missas acontecem às terças-feiras às 15h e aos sábados às 17h.
Preço: entrada gratuita.

Teatro Municipal

Impossível passar pela avenida principal sem notar o grandioso Teatro Municipal, inaugurado em 1893 com capacidade para 485 espectadores. O edifício foi restaurado recentemente e agora está aberto para visitação guiada, com duração aproximada de 50 minutos.

Horário de funcionamento: diariamente, das 8h30 ao meio-dia e das 14h às 17h30. Visitas guiadas precisam ser agendadas através do telefone (32) 8839-1674. Consulte a agenda de espetáculos na fanpage do Teatro Municipal.  

Museu Ferroviário

Fachada da Estação Ferroviária de São João del Rei
Fachada da Estação Ferroviária de São João del Rei. Créditos: Gisele Rocha

O complexo ferroviário inaugurado em 1878 foi essencial para o crescimento de São João del Rei durante. O museu funciona próximo ao local de embarque do passeio de Maria Fumaça que leva a Tiradentes e foi fundado em 1981, ano em que a Estrada de Ferro Oeste de Minas completava cem anos.

O acervo conta com maquinários, vagões de diferentes locomotivas, mobílias da antiga estação, relógios, sinos, telefones, ferramentas, miniaturas e painéis explicativos. Se você estiver embarcando para Tiradentes, tente chegar ao menos duas horas antes da partida para conhecer o museu sem pressa. 

Horário de funcionamento: de terça a domingo, das 9h às 17h.
Preço: entrada gratuita

Outros pontos turísticos em São João del Rei

Se você estiver procurando o que fazer em São João del Rei fora do Centro Histórico, recomendo que visite alguns atrativos naturais nos arredores da cidade. 

  • Serra do Lenheiro
  • Cachoeira do 14
  • Cachoeira Reserva do Cala a Boca
  • Cachoeira Bom Despacho
  • Cachoeira do Urubu
  • Cachoeira do Mangue
  • Cachoeira da Viúva

Lembre-se de levar repelente, chapéu e sapato próprio para trilhas.

❤️ Seguro viagem é primordial

Ao viajar por cidades do interior, não se esqueça do seguro viagem nacional. Ele custa somente R$3,57 por dia e garante atendimento médico em clínicas particulares credenciadas, atendimento odontológico e cobertura farmacêutica. O seguro também oferece cobertura para bagagens extraviadas ou danificadas, além de assistência jurídica em caso de acidente de trânsito. Faça já uma cotação

Cidades Históricas para visitar próximo a São João del Rei

São João del Rei fica a 12 km de Tiradentes, mas você também pode visitar outras cidades como: Prado (e o famoso distrito de Bichinho), Ouro Preto, Ouro Branco e Congonhas.

Se já tiver visitado as cidades históricas, poderá conhecer as deslumbrantes cachoeiras de Carrancas e Aiuruoca.

Conheça outros destinos em Minas Gerais

São João del Rei, MG: o que fazer, como chegar e onde ficar

Prepare-se para viajar

Use o cupom SEGURANCA para adquirir o seguro viagem com até 20% de desconto. Além da cobertura médico-hospitalar, você também estará protegido em casos de cancelamento de viagem, extravio ou danos à bagagem.

Ícone hotel

Reserve hospedagem com antecedência através do Booking e Hostelworld para garantir preços promocionais. Parcelamento sem juros no cartão de crédito e possibilidade de cancelamento reembolsável.

Garanta internet em mais de 210 países utilizando o chip da Easysim4u, que nós já testamos na Europa e do norte ao extremo sul das Américas. Use o cupom SPRING e garanta 50% de desconto.

Economize em passagens aéreas usando o comparador de preços ou a ferramenta quando viajar, um calendário que mostra as tarifas mais baixas para o destino que você escolher.

Tenha liberdade para ir aonde quiser alugando um carro através da Rentcars, que atua em parceria com locadoras renomadas do mundo todo. Parcele sem IOF em até 12x ou cancele sem custos.

Pague menos comprando suas passagens de ônibus com a ClickBus,  a empresa líder em vendas online de passagens rodoviárias, trabalhando em parceria com mais de 140 empresas em mais de 4 mil destinos!

Faça passeios guiados em qualquer lugar do mundo e fure a fila comprando ingressos com antecedência através da GetYourGuide. Cancele sua reserva até 24 horas antes do início de sua atividade e obtenha reembolso integral.

Gisele Rocha

Formada em Comunicação Social pela UFJF. Andou meio mundo tentando descobrir o que queria fazer, até descobrir que queria mesmo era andar pelo mundo.

13 pensou em “São João del Rei, MG: o que fazer, como chegar e onde ficar

  1. Minas Gerais é realmente um estado encantador, muita riqueza cultural e natural! Eu só conheço BH, Ouro Preto e Mariana, mas com certeza quero voltar muitas vezes! Adorei seu artigo, muito completo! Com certeza vou consultar novamente quando for visitar São José del Rei!

  2. Estou absolutamente encantada com São João del Rey. Das cidades históricas mineiras visitei apenas Ouro Preto, mas a partir desse texto considero muito conhecer São João del Rey. Que cidade linda!

    Conhecer nossa história – mesmo aquela que envolve muito sofrimento, como da escravidão – é necessário, importante para saber como chegamos aqui e nos reposicionarmos para o futuro. Conhecer através de lindos casarões e solares, belíssimas igrejas, charmosas ruas torna tudo ainda mais intenso e precioso!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para o topo