Saímos sexta-feira, às 23h, de Belo Horizonte, em um ônibus fretado com uma turma bem animada. O objetivo dessa viagem era passar o final de semana no Pico da Bandeira, localizado na Serra do Caparaó, divisa de Minas Gerais com o Espírito Santo e assistir ao nascer do sol lá de cima.

Para vocês terem uma ideia, o Pico da Bandeira é o terceiro pico mais alto do Brasil, com 2.892 metros de altitude, ficando atrás apenas do Pico da Neblina, que tem 3.014 metros e é o mais alto do país, e do Pico 31 de Março, com 1.992 metros de altura, ambos no Amazonas. 

A minha proposta é escrever neste artigo tudo o que cada um deve saber antes de subir o Pico da Neblina e evitar alguns perrengues. E já adianto: prepare-se para o frio!

Qual é a melhor época para ir ao Pico da Bandeira?

É possível fazer a trilha em qualquer dia do ano, mas a melhor época para subir o Pico da Bandeira é entre abril e outubro, quando chove menos. No inverno, entretanto, o frio congelante torna a aventura ainda mais desafiadora. É comum que nessa época os termômetros registrem temperaturas abaixo de 0°C.

O horário de funcionamento do Parque é de 7h a 18h, mas você pode acampar lá dentro, desde que faça a sua reserva com antecedência. Atualmente nenhuma taxa tem sido cobrada para visitar ou pernoitar no parque, mas você pode se informar sobre os ingressos no site do ICMBio.

O que você precisa saber antes de subir o Pico da Bandeira
O que você precisa saber antes de subir o Pico da Bandeira. Créditos: Olavo Lara Resende / Fonte: 500px

Como chegar ao Parque Nacional do Caparaó?

Existe uma portaria na cidade de Alto Caparaó, em Minas Gerais, e a Portaria Pedra Menina, em Dores do Rio Preto, no lado capixaba. Você pode procurar uma excursão na sua cidade, como eu fiz, ou escolher entre os seguintes meios de transporte:

Avião

O aeroporto mais próximo do Parque Nacional do Caparaó é o de Vitória, que por sua vez está a 245 km da Portaria de Alto Caparaó.

De ônibus

Dificilmente você encontrará uma linha que faça o trajeto direto entre a sua cidade e Alto Caparaó. Pesquise por empresas que levem a Manhumirim ou Manhuaçu, que através da Viação RioDoce leva à rodoviária de Alto Caparaó. Da rodoviária ou o hotel onde você se hospedar é recomendável ir de táxi, pois a subida é cansativa. Poupe energia ou se arrependerá de cada passo dado desnecessariamente!

De carro

Saindo de Vitória, basta seguir pela BR-262 até a portaria de Alto Caparaó. Vindo de Belo Horizonte, a melhor rota é pelas rodovias BR-381 e BR-262 e a entrada também é feita pelo lado mineiro. Já para quem parte do Rio de Janeiro e de São Paulo, o caminho mais rápido é pela BR-116 até a portaria Pedra Menina. As estradas possuem radares e pedágios.

Se assim como a gente você não tiver carro próprio, alugue um veículo na Rentcars para ter maior autonomia no roteiro e conhecer outros atrativos no caminho. A empresa compara preços entre locadoras de renome internacional e divide o valor do aluguel em até 12 vezes.

Quanto tempo demora para subir o Pico da Bandeira?

A portaria do parque fica a alguns quilômetros do início da trilha e foi necessário subirmos a estrada de Jeep Willys! Moradores fazem esse trajeto com até 5 pessoas, cobrando 10 reais per capita.

O Jeep nos deixou na Tronqueira, a primeira das duas áreas de camping existentes na fração mineira do parque. Da Tronqueira ao Terreirão são 3,7 km e do Terreirão ao Pico da Bandeira são mais 3,2 km, numa pegada bem mais pesada que o primeiro trecho. Se seguíssemos direto, talvez a caminhada durasse aproximadamente 5 horas (10 horas ida e volta), mas nós escolhemos começar cedo e parar ao longo do caminho.

📸 Antes de continuar a leitura, que tal ver algumas fotos do Viajei Bonito no Instagram?

Fizemos os 3,7 km que separam a Tronqueira do Terreirão em um ritmo de subida bem agradável, ouvindo música, apreciando os belos campos, água correndo sobre as rochas e aproveitamos o visual para descansarmos e preparar um lanche. O trajeto foi feito em 2 horas

Já no Terreirão, levantamos acampamento e começamos a preparar o almoço.

Foi uma tarde com muita neblina e o frio começou a mostrar sua cara ainda de dia. Visitamos uma cachoeira que fica próxima ao camping, subimos em um mirante para observar o pôr do sol (por que o pôr do sol também é maravilhoso!) e depois adentramos nas barracas para só sairmos na hora do jantar.

A subida noturna começou às 2h30. Foi bom para esquentar! Só é possível enxergar onde a lanterna ilumina e a trilha é sinalizada e autoguiada. Todos do acampamento sobem praticamente nesse horário, fazendo com que a trilha se assemelhe a uma procissão.

Durante a subida, de aproximadamente 2h30, resolvemos parar aos pés de um afloramento rochoso, pois ainda eram 4h15 da manhã e faltavam aproximadamente 40 minutos para chegarmos ao cume. Por conta do frio lá em cima e do descampado do cume, resolvemos aguardar nesse “esconderijo antiventania”! Acho que nosso grupo foi um dos últimos a chegar ao cume.

Ao chegar, aguardamos mais 15 minutos para o sol nascer e mostrar toda aquela grandiosidade.

Todo esforço é válido. Você esquece do frio e do cansaço por alguns bons minutos ao contemplar toda aquela paisagem. Valeu a pena e faríamos tudo de novo!

Sensação de missão cumprida no Pico da Bandeira, entre Minas Gerais e Espírito Santo
Sensação de missão cumprida no Pico da Bandeira, entre Minas Gerais e Espírito Santo. Créditos: Rafael Barletta

O que saber antes de subir o Pico da Bandeira?

A trilha pela vertente mineira é mais fácil que a do lado capixaba, o que não quer dizer de forma alguma que o percurso será suave. Ter um pouco de preparo físico é fundamental. 

Seja você um esportista ou um amador, não é recomendável chegar à cidade e partir direto para o parque a fim de iniciar a trilha. Escolha um lugar legal para se hospedar na véspera, dê uma volta se quiser, mas durma cedo e descanse. Acorde cedo, tome um banho, alimente-se bem e prepare-se para um dia extraordinário. Lembre-se de alongar o corpo antes de começar a jornada rumo ao Pico da Bandeira.

Independentemente da época da sua viagem, fará muito frio à noite. Não esqueça de colocar na mochila os seguintes itens:

  • Camiseta
  • Segunda pele
  • Blusa de fleece ou flanela
  • Casaco corta-vento
  • Cachecol ou gola 
  • Luvas
  • Óculos de sol
  • Calça de tecido maleável
  • Capa de chuva
  • Bota impermeável (se seu calçado for novo, é recomendável usá-lo durante alguns dias antes da viagem para amaciar o couro e evitar bolhas nos pés)
  • Protetor solar
  • Remédios contra dor de cabeça, dor muscular e diarreia
  • Papel higiênico
  • Desodorante
  • Protetores auriculares (se você tiver sono leve, eles serão primordiais para um cochilo reparador antes da subida final)
  • Lanterna
  • Câmera
  • Mantinha ou cobertor
  • Parafernalha de acampamento (barraca, saco de dormir, etc)
  • Sacolinhas para guardar o seu lixo e os que encontrar pelo caminho

Para comer, leve alimentos calóricos como: chocolate, castanhas, amendoim, lascas de coco e milho torrado. Você também pode ver outras sugestões do que levar para a trilha no nosso post sobre lanches práticos e baratos para mochileiros.

🔥 EVITE INCÊNDIOS!

Não faça fogueiras e não jogue bitucas de cigarro pelo caminho. Se quiser fumar e ainda tiver fôlego para isso, faça perto das lixeiras das áreas de acampamento e certifique-se que o cigarro está totalmente apagado antes de descartá-lo. O fogo pode se alastrar em alta velocidade e causar incêndios de grandes proporções, como o que aconteceu em setembro de 2019.

Outras atrações do Parque Nacional do Caparaó

O Pico da Bandeira é o atrativo natural mais conhecido do Parque Nacional do Caparaó, mas não é o único. A reserva ecológica também abriga reservas de Mata Atlântica com nascentes, cachoeiras, corredeiras, mirantes, piscinas naturais, vales, grutas e outros cinco picos que estão entre os dez mais altos do Brasil. Deixo aqui algumas sugestões de lugares que você pode visitar se tiver outros dias disponíveis no roteiro.

  • Vale Verde
  • Gruta do Jacú
  • Cachoeira Bonita
  • Vale Encantado
  • Pico do Cristal
  • Pico do Cruzeiro
  • Fazenda Antônio Leite
  • Macieira 
  • Pedra Duas Irmãs
  • Cachoeira do Aurélio
  • Cachoeira da Farofa
  • Pico do Calçado
  • Pico do Calçado Mirim
  • Cachoeira dos Pilões

Onde se hospedar próximo à Serra do Caparaó

Além das bases para camping dentro do parque, existem algumas pousadas em Alto Caparaó para descansar o corpo antes e depois da empreitada. Não me hospedei em nenhuma delas porque dormi no ônibus, mas selecionei aquelas que receberam as melhores avaliações por parte dos hóspedes:

Seguro viagem nacional é primordial

Ao longo do meu relato pode perceber que subir o Pico da Bandeira é uma experiência gratificante, porém ela exige planejamento. E aqui não falo apenas de preparo físico ou de escolher a melhor data para viajar, mas de se preparar para imprevistos que podem acontecer ao longo do percurso. Com R$3,57 por dia é possível contratar um seguro viagem nacional com cobertura para esportes radicais que garanta toda a assistência necessária caso algum incidente aconteça.

Aqui no Viajei Bonito nós recomendamos o TA 50 BRASIL, vendido pela Seguros Promo, um plano que cobre até R$ 50.000 com despesas médico-hospitalar, além de seguro de invalidez permanente por acidente e indenização por morte acidental. A gente não quer pensar sobre essas coisas antes de uma viagem, mas o que são R$3,57 perto dos transtornos que podemos evitar com essa quantia? Vou deixar aqui um cupom de desconto pra você pagar ainda menos!

Seguros Promo
VIAJEIBONITO5
Cupom que dá direito a 5% de desconto Ver todos os cupons Enviar por e-mail

Como utilizar este cupom
  1. Acesse a página da Seguros Promo
  2. Preencha as datas de sua viagem e escolha um destino
  3. Selecione a apólice
  4. Utilize o cupom na etapa de pagamento

Informe abaixo seu e-mail para receber este cupom em sua caixa postal. Ele não será armazenado, nem utilizado para enviar campanhas de marketing.

Leia mais sobre Minas Gerais

Rafael Barletta
Possui bacharel e licenciatura em Geografia. Leciona para os ensinos médio e fundamental de escolas públicas e particulares. Gasta todo seu salário no mundo duas rodas e em viagens. Não dispensa um feriado. Ver mais artigos de Rafael Barletta Créditos da imagem de capa: Olavo Lara Resende / Fonte: 500px. Imagem utilizada nas redes sociais: Olavo Lara Resende / Fonte: 500px.
10 comentários em “Pico da Bandeira: o que você precisa saber antes de subir”
  1. Eu subi o Pico da Bandeira no ano passado e com certeza vou voltar mais vezes. Como era junho, ainda não estava tão frio. Acho que a temperatura mínima que pegamos foi 5 graus, que com o vento parece 50 negativo. É frio, é molhado, é cansativo, mas é bonito demais!

  2. Uau, que incríveis as imagens do Pico da Bandeira! Não fazia ideia da preparação necessária, bom saber que sempre fará frio à noite e que é preciso estar bem preparado…

  3. Morro de vontade de subir no Pico da Bandeira e admirar o nascer do sol de lá, já vi tantas fotos lindas que tenho certeza de que vou amar conhecer. É uma aventura para a vida, obrigada pelas dicas.

  4. Nossa, tô apaixonada pelo seu relato! Que incrível subir o Pico da Bandeira! Adoro esses desafios e já coloquei na minha wishlist infinita de viagens kkkk

  5. Que legal! Não tinha ideia da altura do Pico da Bandeira e a vista lá de cima realmente é linda!!! Adoro posts assim completíssimos com dicas de como chegar, o q levar e até dicas do que vestir! Isso ajuda demaaaais a organizar as nossas viagens!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *