Durante nossa viagem à Bangkok, tiramos um dia para visitar a famosa cidade de Ayutthaya, capital do antigo Reino de Ayutthaya há mais de 600 anos. O local ainda guarda ruínas fascinantes, cheias de mistérios e histórias, nem todas elas com veracidade confirmada.

Neste artigo falaremos sobre como chegar à Ayutthaya a partir de Bangkok, explicaremos como fizemos pra reservar um tour que nos foi muito vantajoso, resumiremos cada atração que visitamos e no final você ainda poderá assistir a um vídeo completo com todas as filmagens registradas durante esse passeio. Pra completar, você ainda confere dicas sobre onde se hospedar. Foi um material coletado com muito carinho que nós agora disponibilizamos no Viajei Bonito para que você conheça mais sobre a Tailândia.

Um pouco sobre Ayutthaya

Considerado um dos principais destinos para quem visita o país, a cidade de Ayutthaya teve grande importância comercial no passado, sendo seu porto peça-chave no comércio internacional de açúcar, couro, sedas e vários outros produtos. Como dito no início do artigo, a cidade foi destruída pelo exército birmanês em 1767 e por conta disso grande parte de seus pontos turísticos estão em forma de ruínas.

Como consequência da guerra, seus templos guardam até hoje estátuas de Buda sem cabeça e construções em destroços. Pode parecer triste, mas suas paisagens fantásticas são um prato cheio aos fotógrafos. Ao todo são quase 200 templos, sendo apenas 50 reconhecidos pela UNESCO. Estamos falando de um pedacinho da Tailândia que traz seus visitantes ao passado em uma viagem inesquecível sobre a qual contamos a partir de agora.

Como ir de Bangkok à Ayutthaya

Aproximadamente 80 km separam Bangkok de Ayutthaya. Uma opção é ir andando: segundo o Google Maps, 15 horas são necessárias aos turistas que desejam ir caminhando, mas ela será descartada, tudo bem? Supondo que você não tenha alugado um carro e ainda assim queira visitar a cidade, é possível ir a partir de tours contratados em qualquer agência turística de Bangkok. A Khao San Road é repleta dessas agências, o que lhe permite negociar e comparar entre os vários pacotes e preços.

Mas por que recomendamos um tour? Você pode simplesmente pegar um trem ou um ônibus, mas uma vez em Ayutthaya, todo o deslocamento interno entre os templos, que são afastados, terá de ser feito com táxis, ônibus urbanos e tuk-tuks. Além de custo adicional, você acabará perdendo tempo procurando a melhor forma de chegar a esses lugares. Por isso recomendamos uma excursão, já que os preços dos tours para Ayutthaya, assim como quase tudo em Bangkok, são muito atrativos.

Veja bem, reservamos um tour que incluía:

  • Ônibus de ida que nos buscou no albergue às oito da manhã e na volta nos deixou na Khao San Road por volta das quatro da tarde;
  • Visita a cinco templos:
    • Wat Yai Chai Mongkhon
    • Wat Mahathat
    • Wat Lokkayasutharam
    • Wat Phukhao Thong
    • Wat Phra Si Sanphet
  • Almoço;
  • Guia em inglês.

E quanto pagamos? O equivalente a R$ 50,00 por pessoa. Parece piada. Parece pegadinha. Mas não era. Ficamos apreensivos quando contratamos o tour porque tudo parecia bom demais pra ser verdade. E era!

Não temos uma empresa em específico para recomendar, mas saiba que caminhando pela Khao San Road é possível negociar, chorar descontos e comparar itinerários nas várias agências espalhadas ao longo da rua.

Templos visitados em Ayutthaya

Nosso tour contou com quatro templos na parte da manhã e um templo enorme logo após o almoço. A partir daqui você confere um resumo dessas atrações, bem como algumas das imagens que registramos nesse dia.

“wat”?

Wat nada mais é do que templo. E por essa razão, praticamente o nome de todos os templos budistas que visitamos começam com Wat. Não é à toa que os templos em Bangkok sobre os quais já escrevemos também seguem a regra: Wat Pho e Wat Arun.

Wat Yai Chai Mongkhon

O primeiro templo visitado na parte da manhã nos surpreendeu pela beleza das estátuas de Buda cobertas com mantas amarelas ao redor da principal construção. As enormes imagens esculpidas em pedra e os fortes ventos que balançavam suas vestimentas traziam uma atmosfera única ao lugar. Ficávamos dividos entre fotografar tudo que víamos ou apreciar as belas construções cujas idades são contadas em séculos.

O monastério foi construído em 1357 e utilizado para acomodar monges ainda durante o reinado de U-Thong, primeiro rei de Ayutthaya. Na área do templo é possível encontrar ainda uma grande imagem do Buda Reclinado. Você sabe o que representa a estátua do Buda Reclinado? Leia em nosso artigo sobre o Wat Pho.

Wat Mahathat

Também conhecido como o Templo das Grandes Relíquias, o Wat Mahathat está localizado no centro de Ayutthaya e foi a segunda atração visitada nesse dia. Acredita-se que o templo foi construído no século XIV A.D. O que se vê hoje são apenas ruínas gigantescas. Cenários perfeitos para fotografias e apreciação. Se não fosse nosso tempo curto até que o guia nos levasse para o próximo destino teríamos gastado horas explorando os arredores do templo e os longos gramados verdes que se estendiam no horizonte.

Segundo a guia, no passado houve uma guerra que destruíu praticamente todas as construções pertencentes ao templo. Pelo que entendemos a partir de sua explicação, nos pescoços das estátuas de Buda havia colares de ouro, e por essa razão os invasores arrancavam suas cabeças, que eram vendidas posteriormente.

Segundo as histórias do local, durante um roubo o ladrão foi pego e a cabeça da estátua deixada no pé de uma árvore. Como era proibido manusear a cabeça de uma estátua de Buda na época, ela foi deixada ali e com o passar dos anos as raízes da árvore “abraçaram” o artefato, que se encontra lá até hoje.

Durante nossa viagem, a foto da cabeça de Buda nas raízes da árvore foi postada em nosso Instagram e rendeu boas repercussões. Que tal nos seguir por lá e acompanhar as imagens de nossas próximas viagens?

Wat Lokkayasutharam

Uma das maiores imagens do Buda Reclinado da Tailândia, com 42 metros de comprimento, se encontra justamente em Wat Lokkayasutharam. A idade do templo ainda é desconhecida, uma vez que ele já foi restaurado várias vezes durante os anos e provavelmente os registros se perderam.

Além da grande estátua, uma prang tombada como a Torre de Pisa se destaca alguns metros depois. Não há muito no entorno dessas ruínas além das duas contruções. De qualquer forma a visita ao local é válida.

Dica: chegando às ruínas é comum ser abordado por vendedoras de flores e incensos. Elas são simpáticas e nós acabamos acompanhando. Fomos até uma fogueira em frente à estátua do Buda Reclinado e queimamos alguns incensos, depositando as flores em seguida, uma homenagem tradicional a Buda vista em praticamente todos os templos. Demos alguns trocados mas ela iniciou tentativas insistentes de vender medalhas com imagens de Buda que, segundo ela, serviriam de proteção. Não compramos, mas deu trabalho sair dessa sem parecer rude.

Continua após a publicidade

Wat Phukhao Thong

O último templo antes do almoço foi o Wat Phukhao Thong e tudo que pensávamos nessa hora era em…? Sim, no almoço. O calor do meio dia e a fome faziam com que olhássemos as longas escadarias lançando longos bocejos e roncos na barriga que entoavam canções tailandesas tradicionais. Mas como bons turistas que somos, subimos as dezenas de degraus. Lentamente, mas subimos.

Na entrada do templo havia várias estátuas de galos em um pequeno monumento. Os galos são levados até ali pela própria população porque o antigo rei da Tailândia, que viveu justamente nesse local, gostava muito de rinhas, sendo as de galos as favoritas. Há então uma lenda de que se um pedido seu for realizado, você deverá deixar um galinho em frente ao templo como forma de agradecimento. Essas informações foram dadas pela guia.

Wat Phukhao Thong em Ayutthaya, Tailândia

Wat Phukhao Thong em Ayutthaya, Tailândia. Créditos: Gisele Rocha

No alto do templo, uma porta muito apertada leva até a pequena câmara onde os fiéis vão para suas orações e meditações. Entretanto, o espaço é minúsculo. No túnel após a entrada é difícil até mesmo ficar em pé ou passar quando alguém vem no sentido oposto. A subida valeu mesmo a pena pela vista e pelos ventos que sopravam generosamente no lado de fora.

Ufa, enfim, o almoço! Mas não espere encontrar imagens aqui: estávamos com fome demais pra fotografar.

Wat Phra Si Sanphet

Terminado o almoço, pensamos que o último templo seria qualquer coisinha pra agradar a galera antes de retornar à Bangkok. Que nada, ele foi um dos mais interessantes. Dessa vez, estávamos em um local onde havia um templo em atividade ao lado de um templo em ruínas. Vários pontos com sombra permitiam que tirássemos as fotos sem fritar.

Fomos descobrir então que o templo foi o antigo Palácio Real antes da destruição de Ayutthaya.

Terminamos o passeio sabendo que visitamos muita coisa boa em um dia. A sensação de ter aproveitado bem nosso tempo em Ayutthaya foi muito importante para nós, uma vez que em várias das cidades pelas quais passamos ficamos com a impressão de que faltou ver muita coisa.

O que vimos nesse dia em Ayutthaya?

Se as galerias que postamos acima não foram suficientes, aqui vai um vídeo que gravamos ao longo do dia. Aproveite para seguir nosso canal no YouTube e ter acesso a vários outros vídeos postados durante nossas viagens.

Onde se hospedar em Ayutthaya

Como dissemos no início, visitamos Ayutthaya a partir de um tour em Bangkok. Sabemos que a grande maioria das pessoas estarão na capital tailandesa, mas se por acaso você preferir se hospedar na própria cidade de Ayutthaya, há alguns bons albergues por lá. A recomendação do Viajei Bonito é o Luang Chumni Village (88).

Fazendo a reserva a partir dos links abaixo você garante uma pequena comissão para nosso blog e não paga nada a mais por isso. É a melhor forma de ajudar o Viajei Bonito a continuar viajando e contando tudo aqui.

Luang Chumni Village

2/4 Rojana Road Tambol Pratoochai

Descrição baseada em avaliações do Booking

Analisando as revisões dos usuários do Booking, a localização do b&b é muito bem avaliada. Quem já se hospedou por lá avaliou como excelente a limpeza. Os serviços prestados e as comodidades foram muito bem classificados, chamando atenção também pelo conforto. Os funcionários são extremamente solícitos e profissionais. Pode-se dizer que o custo benefício é ótimo.

Diárias a partir de R$120,00 (preço atualizado em 15 de fevereiro de 2019)

Quando você utiliza o botão abaixo para procurar sua hospedagem, o Viajei Bonito ganha uma pequena comissão e você não paga nada a mais por isso. É uma forma de ajudar nosso blog a continuar vivo, trazendo informações valiosas para sua viagem.

Verificar disponibilidade

Se você gostou de conhecer Ayutthaya conosco, ou se já conhece e quer compartilhar suas experiências, não deixe de participar do artigo utilizando os comentários logo abaixo!

Até a próxima!

Ler mais sobre o nosso Mochilão Asiático

Se você gostou deste artigo e gostaria de ler outros sobre o nosso mochilão pela Ásia, veja abaixo por onde passamos e boa leitura.

Estados Unidos

Tailândia

Outras notícias sobre a Tailândia

Vietnã

Malásia

Singapura

Prepare-se para sua viagem

Em Ayutthaya, nossa sugestão de hospedagem é o Luang Chumni Village (88, diárias a partir de R$120,00). Aprenda a reservar um hotel pela internet aqui. Você pode procurar outros hotéis através do Booking, ou então se sua preferência é por albergues, acesse o Hostelworld.

Vai alugar um carro? Na Rentcars você compara preços em diversas locadoras no mundo todo com muita segurança, sem taxas no cartão de crédito, 5% de desconto no boleto, parcelamento em até 12 vezes e isenção de IOF. Veja como é simples fazer sua cotação e reservar um carro pela internet.

Receba um desconto de R$10 em sua primeira viagem com a Uber ao utilizar o cupom 9udns9 durante o cadastro pelo aplicativo ou então através deste link.

testamos o chip internacional da Easysim4u e aprovamos tanto o serviço quanto a qualidade da internet no exterior. Clique aqui para ver todas as opções de coberturas disponíveis nos EUA e em mais de 210 países! Ainda, utilize o cupom VIAJEIBONITO10 para garantir 10% de desconto em seu pedido! Tem promoção rolando! Até o dia 21/03/2019 você garante 20% de desconto ao utilizar o cupom DOWNEUP. Recomendamos que você dê uma olhada no plano Dados Mundi que sai a partir de R$194,02. O Viajei Bonito indica também como alternativa o chip da Yes Brasil.

Se você teve algum voo cancelado, atrasado, perda de conexão, overbooking, extravio de bagagem ou outros tipos de imprevisto com companhias aéreas, faça aqui uma consulta e descubra se você tem direito a indenizações. A Resolvvi cuida de toda a burocracia e você recebe o valor sem sair de casa, além de pagar apenas se ganhar.

Comidas exóticas, fenômenos climáticos e furtos: veja alguns dos motivos pelos quais recomendamos o seguro viagem para os países da Ásia. Você pode fazer sua cotação clicando aqui e utilizando o cupom de desconto VIAJEIBONITO5. Aprenda a contratar um seguro viagem e conheça também o seguro viagem que vale por um ano inteiroE se liga que tá rolando promoção! Até o dia 17/04/19 você pode usar o cupom VIAJANTE para garantir 10% de desconto em sua apólice! Aproveite esse descontão porque ele é por tempo limitado!

Pesquise por preços de passagens aéreas para destinos nacionais e internacionais na plataforma da Passagens Promo.

Com base em cotações atualizadas diariamente do Alpha Vantage, a proporção entre o Baht tailandês e o Real é de 1 THB para 0,0922 BRL. Utilizando o voucher VIAJEIBONITO você garante em sua primeira compra 10% de desconto no spread da BeeCâmbio e 25% de desconto no spread da Remessa Online, além de garantir as melhores taxas para câmbio de moeda. Confira nosso passo-a-passo para enviar e receber dinheiro do exterior durante uma viagem.

Adicione ao Pinterest

Clique na imagem ao lado para adicionar este artigo em seu Pinterest e veja também nossos painéis. Foto por: Gisele Rocha

Viajei Bonito

Somos duas pessoas apaixonadas por movimento. Para nós, cair na estrada é mais importante do que um projeto futuro de estabilidade e quaisquer oportunidades de novas viagens, por mais remotas e loucas que pareçam ser, a gente tá pegando!

Ver mais artigos de Viajei Bonito

Créditos da imagem de capa: Gisele Rocha