Vida de mochileiro é assim: comprar as passagens mais baratas possíveis o que inclui, muitas vezes, ter que mudar de aeroporto para seguir viagem. E se é para economizar, a opção táxi, embora mais cômoda, nunca é a mais em conta. E no Rio de Janeiro, que tem uma malha de transporte um tanto quanto caótica, o próprio táxi, além de caro, pode ser uma pegadinha – como você verá mais abaixo. Então, qual a melhor forma de ir do Santos Dumont ao Galeão e vice e versa? A gente te mostra as opções e você decide!

Onde ficar no Rio de Janeiro

No Rio de Janeiro, nossa indicação de hospedagem é o Hoshtel (75). O custo-benefício é excelente. O albergue está localizado a 5km da Lagoa Rodrigo de Freitas, 6km do Jardim Botânico e 8km do Pão de Açúcar. Oferece quartos com ar-condicionado e wi-fi. Além disso, um café da manhã continental é servido toda manhã. Na recepção, que é 24 horas, a equipe fala português, inglês e espanhol.

Ônibus executivo

No linguajar carioca ele é chamado de frescão – um ônibus mais confortável, com ar condicionado e poltronas reclináveis. E as linhas premium 2101 e 2145, da Viação Real, fazem o trajeto entre os aeroportos do Rio de Janeiro a cada 30 minutos – das 5h30 às 21h30. As passagens custam 14 reais (preço vigente em 2017), excelente se considerarmos a distância de 18 quilômetros. Como num ônibus de viagem, tem até bagageiro para levar as malas.

Metrô + BRT

Essa opção é meio trampo, mas também a mais barata (pouca coisa mais barata que o frescão). Do Galeão sai o ônibus expresso BRT e a linha TransCarioca Expressa vai até o Terminal Alvorada, localizado na Barra da Tijuca, com paradas no Terminal do Fundão, Estação Vicente de Carvalho e Madureira. Quem vai ao Santos Dumont precisa desembarcar na Estação Vicente de Carvalho e tomar o metrô até a estação Cinelândia. De lá, são mais 1,1 quilômetro a pé até o aeroporto. O custo? R$ 11,10. Sendo R$ 3 do cartão Rio Card, R$ 3,80 do BRT e R$ 4,30 do metrô. Para quem tem tempo sobrando, disposição para ficar em pé nos transportes públicos, encara uma caminhadinha com mochila nas costas e quer economizar nos mínimos detalhes, é uma combinação barata. Porém, não necessariamente segura. Evite os horários de menor movimento.

Táxi ou Uber

É uma boa opção, principalmente se você estiver em grupo e puder dividir o valor da corrida. Mas, como tudo no Rio de Janeiro, é preciso ficar bem esperto. Ignore qualquer abordagem no caminho entre o desembarque e o saguão do aeroporto se não quer correr risco de entrar em um táxi pirata ou com o taxímetro adulterado. Em ambos os aeroportos há guichês credenciados de táxi, que cobram um valor fixo pela corrida de acordo com o seu destino.

Uma corrida em táxi especial entre os dois aeroportos, em carros maiores e com ar condicionado, custa R$ 105. Em táxis comuns, o valor cai quase pela metade na bandeira 1 (6h às 22h de segunda à sábado).

Uber funciona normalmente no Galeão e no Santos Dumont. O valor varia, já que é aplicado pelo aplicativo de acordo com a rota, tráfego e disponibilidade de carros. Mas na categoria mais simples, custam mais barato que o táxi comum.

Dica: Você pode garantir um desconto na Uber utilizando o código 9udns9 durante o cadastro.

Traslados particulares

Existem opções de traslados particulares no Rio de Janeiro que podem ser viáveis para grupos ou até mesmo quando for mais cômodo para você. Não há como negar que ter uma pessoa te esperando na saída do desembarque é um grande adianto na viagem. Essas opções podem ser consultadas na plataforma da GetYourGuide.

Leia também: Como ir do Terminal Rodoviário Novo Rio aos aeroportos da cidade

Juliana Xavier
Formada em Comunicação Social, após 10 anos empreendendo seus conhecimentos em grandes empresas, decidiu que era hora de empreender em si mesma e ser livre para criar o que quiser. Ver mais artigos de Juliana Xavier Créditos da imagem de capa: mariordo59 / Fonte: Flickr. Imagem utilizada nas redes sociais: Infraero / Fonte: Flickr.
Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *